DISSIDENTE-X

Archive for Fevereiro 2008

SUDÃO, DINAMARCA e os cartoons…

leave a comment »

No Sudão, continua a tentativa de capitalizar politicamente com o problema dos cartoons dinamarqueses um ano depois do assunto ter acontecido. A notícia é do Jornal de notícias de 24 de Fevereiro de 2008.

SUDÃO-CARTOONS

Expulsam-se organizações dinamarquesas do país. Entre as organizações que irão ser expulsas está a cruz vermelha dinamarquesa que actua na região do Darfur e o conselho dinamarquês para os refugiados.

A técnica usada é a seguinte. Cria-se um comité, chama-se “fórum do Sudão para a paz” e proibe-se os funcionários sudaneses de terem contactos com dinamarqueses expulsando a seguir as referidas organizações e apela-se ao boicote aos produtos dinamarqueses.

Existe contudo, uma “razão” para o boicote e para esta atitude. Há uns dias atrás tentaram matar um dos cartoonistas que fez uma das 12 caricaturas que suscitaram a polémica. A polícia dinamarquesa descobriu o atentado a tempo e frustrou a tentativa.

Em solidariedade para com o cartoonista que esteve com a vida em perigo, jornais dinamarqueses, republicaram os cartoons com especial ênfase para o cartoon que o cartoonista tinha originalmente desenhado.

SUDÃO2

Agora temos, de novo, a chantagem, a pressão, a intimidação e a tentativa de inverter a situação, jogando com a opinião pública, fazendo parecer de novo que existe uma suposta ameaça à dignidade do Islão e aos muçulmanos. Que respeitando um subvertido principio da proporcionalidade e em nome de “vingar a afronta” acham normal não protestar pelo facto de pessoas intitulando-se de fé muçulmana tentarem matar à bomba um cartoonista, mas já acham normal protestar pela republicação de um desenho.

Liberdade de expressão enviesada, diria…

Também parece ser normal ( é o que esta campanha de propaganda subvertida de proto fascismo nos pretende mostrar…) ver-se o que a imagem ao lado mostra: um rapaz na Jordânia, em manifestações de desagravo, com as palavras escritas na testa “Estejam com o profeta Maomé”. Presumo que quem não estiver, será considerado como estando a ameaçar a dignidade do Islão e como tal será considerado legítimo que se façam uns atentados contra quem não esteja com Maomé. O que equivale a fazer, segundo esta lógica, umas dezenas de milhares de atentados para trucidar os infiéis que não estão com Maomé…ou seja obliterar todos os que não são muçulmanos?

Pelo meio usa-se a questão do Darfur e dos refugiados do mesmo, com todo o cortejo de fome e mortos que está a gerar como arma política para combate sem tréguas contra o Ocidente ( simbolizado aqui pela Dinamarca), embora isso seja apenas um pretexto. Hoje é o Ocidente, amanhã outra coisa qualquer.
Como é óbvio, a direita política portuguesa provavelmente exultará com isto; a esquerda política portuguesa assobiará para o lado fazendo de conta que não se passa nada e lançará umas petições falando da libertação de Ingrid Bettencourt (problema existente na Colômbia), ou de outra coisa qualquer que esteja a jeito ( Timor é sempre um bom nicho de mercado para apelar à lágrima fácil… e ao desviar de atenções…) enquanto que na Dinamarca, as associações muçulmanas voltaram a criticar o atentado, mas também os jornais que republicaram os cartoons, dizendo que isso constitui uma ameaça à fé islâmica.
De facto não consta que ninguém na Dinamarca se tenha sentido ofendido com as declarações das associações muçulmanas e tenha decidido colocar umas bombas nas instalações das mesmas, embora o contrário – no que aos cartoonistas diz respeito, quase tenha acontecido.

Agora continuamos a tentar ser convencidos que uma coisa é igual à outra e tem o mesmo valor…
É assim que estamos perante mais uma tentativa de criação de regimes jurídicos de excepção e de multi culturalismo legal, a coberto de uma qualquer fé ou religião…ou o que seja…

Continue-se a fingir que esta “questão” não é séria e continue-se a não enfrentar esta questão…

Notas finais:

AQUI já se falou de algo semelhante mas acerca de futebol;

AQUI já se faliu de algo semelhante acerca do Rally Paris Dakar e do seu cancelamento;

AQUI já se falou da Arábia saudita com a sua proibição de venda de rosas no dia dos namorados, bem como de uma tentativa de pressão sobre as regras editoriais da Wikipédia.

Anúncios

ELEIÇÕES AMERICANAS 2008 – PETRÓLEO

leave a comment »

PETROLEO4

A “esquerda portuguesa” lamentavelmente, esquece-se sempre de várias coisas. Como existe um problema de memória; actualmente divide-se entre declarar o seu apoio entusiástico a Hillary Clinton ou declarar o seu apoio entusiástico a Barack Obama. Assim até parecerá que existe pluralismo

A “direita portuguesa” declara o seu apoio entusiástico a Jonh MCcain, Hillary Clinton e Barack Obama por esta ordem.

As “empresas americanas” declaram o seu apoio entusiástico a todos. Oil God Bless América!

Comecemos pela direita portuguesa, e o seu primeiro candidato preferido, Jonh Mccain. Donativos enviados das empresas petrolíferas para a campanha eleitoral Mccain.

MCCAIN 2008- PETROLEO

Na direita portuguesa e na esquerda portuguesa, surge a quase preferida de todos Hillary Rohdam Clinton.

Donativos enviados das empresas petrolíferas para a campanha eleitoral Rohdam.

HILLARY CLINTON -2008

O homem querido por todos, também é preferido politicamente por todos à esquerda e à direita, ao centro, norte, sul, na Brandoa e Alfornelos, mas só à segunda feira NA Brandoa e só à quarta feira em Alfornelos..

Donativos enviados das empresas petrolíferas para a campanha eleitoral Barack.

.BARCAK OBAMA -2008

Que eu tivesse reparado a simpática companhia EXXON MOBIL doou generosamente dinheiro a todos os 3 candidatos.

Aqui em baixo temos o que TODOS os candidatos receberam

CANDIDATOS- 2008

É bastante engraçado que Hillary tenha recebido mais donativos do que Mccain. É engraçado que Barack Obama tenha recebido donativos. É engraçado que Mccain tenha recebido menos donativos que Rudolph Giuliani, um candidato que desistiu quase no inicio, ainda antes desta venda de peixe começar. É engraçado que Barack Obama tenha recebido o maior donativo entre os 3 últimos candidatos doado pela EXXON MOBIL.

Written by dissidentex

28/02/2008 at 8:01

PUBLICIDADE M&M.

leave a comment »

A empresa de publicidade Clemenger BBDO da Austrália ( Veja-se AQUI a diferença para o que a BBDO portuguesa faz e compare-se com a Clemenger BBDO…) fez uma campanha publicitária brilhante. Simulou umas eleições presidenciais em 2008, para associar a campanha às eleições norte americanas. ( Um exemplo oposto e falhado de tentativa de associação mental de ideias publicitárias mas mal feito e imbecil pode-se encontrar AQUI )

Mas nestas eleições especiais 🙂 os candidatos 🙂 são os doces m&m convidando as pessoas a votar no m&m favorito e oferecendo um prémio de 100.000 dólares. A eleição é apenas destinada a residentes da Austrália e da Nova Zelândia com idades superiores a 13 anos.

Criaram um site na Internet que finge acompanhar as iniciativas de campanha (comícios, conferências de imprensa…) dos candidatos. Sugiro visita e sugiro clicar na opção em cima “The candidates” para se ver vídeos de campanha eleitoral e biografias dos candidatos absolutamente hilariantes… 🙂 especialmente do RED, BLUE e do YELLOW. ( O “BLUE” afirma com voz de falsete num comício ” isto é o que podes tu (eleitor) fazer por um candy… simulando Jonh F.Kennedy… o Red corre na rua gritando que a RedVolução está a acontecer…)

Site de Internet com a cobertura em tempo real das eleições.

Os 🙂 candidatos 🙂 apresentam-se com 🙂 poderosos 🙂 argumentos…eleitorais…

Cartazes de propaganda/publicidade: absolutamente fabulosos, quer como conceito/ideia, quer na execução gráfica dos mesmos. ( Especialmente o RED…)

Observe-se o RED:

SLOGAN DE CAMPANHA – ” A REDVOLUÇÃO É AGORA “MMRED

Observe-se o CRISPY:

SLOGAN DE CAMPANHA: “CARREGANDO OS NERVOS DE TODA UMA NAÇÃO” MMCRISPY

Observe-se a MISS GREEN:

SLOGAN DE CAMPANHA – ” MISS GREEN, TRABALHANDO AS SONDAGENS ” (POLLS) MMGREEN

Observe-se o YELLOW:

SLOGAN DE CAMPANHA – ” O DOCINHO DO POVO “MMYELLOW

Observe-se o BLUE

SLOGAN DE CAMPANHA – UM VOTO EM BLUE É UM VOTO EM YOU (VOCÊ) MMBLUE

DISCLAIMER: ESTE POST NÃO SIGNIFICA PUBLICIDADE ENCAPOTADA À ESTE PRODUTO/MARCA.

É APENAS UMA CAMPANHA PUBLICITÁRIA DA QUAL GOSTEI BASTANTE E DOS CARTAZES DA MESMA BEM COMO DO CONCEITO POR DETRÁS DELES.

Written by dissidentex

27/02/2008 at 11:31

EQUADOR. ILHAS GALÁPAGOS.

leave a comment »

Em 2001, um navio petrolífero que passava ao largo das ilhas Galápagos acertou num recife e começou a derramar petróleo. Vinha carregado com 150.000 Galões = 567.81 Litros de petróleo para ser refinado.

As ilhas Galápagos são um dos mais perfeitos e frágeis ecossistemas naturais do mundo onde habitam as celebres tartarugas de 300 quilos. Ficaram em risco inúmeras espécies de fauna e flora que ficaram conhecidas através dos primeiros estudos de Charles Darwin.

O desastre acabou por não acontecer devido a limpezas feitas pelos voluntários e por membros do parque de conservação das Galápagos. Mas a visão de milhares de litros de petróleo a boiar ao largo despoletaram uma iniciativa internacional.

E no dia 18 de Fevereiro o presidente do Equador, lançou, ao celebrar os 500 anos da descoberta das Galápagos, um programa para erradicar o combustível fóssil na área, até 2015.

GALAPAGOS-WIND POWER1

 

O governo do Equador, um programa das Nações Unidas e oito das maiores companhias de electricidade mundiais lançaram o San Cristobal Wind project, para criar um sistema híbrido «painéis solares- combustível fóssil- turbinas eólicas» para fornecer as necessidades dos 30 mil habitantes do arquipélago.

GALAPAGOS - WINDPOWER2

 

Um dos países que entraram neste projecto foi a Espanha.

GALAPAGOS WIND POWER 3

Em Portugal numa área turística, que à nossa escala, tem a importância que o arquipélago das Galápagos tem para o Equador, o governo português apresentou sozinho 670 milhões em investimentos turísticos a serem feitos na costa alentejana, isto no dia 16-01-2008.

O que equivale a dizer que do ponto de vista ambiental a zona alentejana morreu.

São estas as diferenças entre o país do terceiro mundo Equador e o país pertencente à Comunidade Europeia, Portugal.

Uns defendem o património, e apostam a longo prazo. Outros apostam na miragem da criação de empregos de pouco valor acrescentado, onde, aos portugueses, apenas é destinado o papel de meros lacaios de serviço.

Written by dissidentex

26/02/2008 at 17:28

ESTAÇÃO DO ROSSIO 2008.

leave a comment »

 

ESTAÇÃO DO ROSSIO 1910

Era a loucura do povo que ansiava a reabertura das portas da Estação do Rossio, queria ver o túnel e admirar a obra socialista, cuja derrapagem financeira superou os 9,5 milhões de euros.

Encontrava-se lá um comboio de alta-velocidade, o Pendular que normalmente faz Faro – Lisboa – Porto – Braga. O povo foi entrando e quando questionado por uma repórter, ninguém sabia para onde ia aquilo, mas todos entraram. Um queria ir para Roma-Areeiro, outro para Queluz. Mas de facto, aquele comboio abarrotado de gente não ia para lado algum, encontrava-se apenas em exposição.

É a imagem do país: não vai a lado algum, estando apenas em exposição.

FONTE: Daniel Marques.Net dia 16 de Fevereiro de 2008

Written by dissidentex

26/02/2008 at 12:34

APOIO JUDICIÁRIO 2008

leave a comment »

1

Uma característica desagradável, totalitária e oportunista que se percebe no partido socialista é a capacidade de produzir muitas contestações quando está na oposição.

Estando na oposição sofremos todos de intensas dores nos ouvidos com as sistemáticas proclamações de que a “Liberdade está em perigo” e “as conquistas do 25 de Abril estão ameaçadas”, sempre que um qualquer partido de direita que esteja no Governo tome uma qualquer medida, seja ela efectivamente anti interesses das pessoas, da democracia e “de direita”, ou não seja.

Quando o partido socialista chega ao governo esperamos todos que – agora que lá estão – nos demonstrem exactamente como é que fariam democraticamente e como é que eles é que são a verdadeira “esquerda democrática” ou moderna ou lá o que é…

Anunciam sempre que irão fazer “mudanças” ou “reformas” e “governar para as pessoas”. Contudo, as “reformas” que fazem são sempre autocráticas. Atacam ainda mais direitos e conceitos próprios de democracia do que aquilo que antes teria supostamente acontecido com um hipotético governo de direita.

É o que nos últimos 20 anos se tem sistematicamente constatado.

Significa isto que, sendo eu de esquerda, mas não alinhado com nenhum partido político, demonstre, ao escrever desta forma; estar tácitamente a apoiar os partidos de direita? Certamente que não.

O problema que aqui está é que as pessoas que se sentem como sendo de esquerda perdoaram demasiado tempo e tiveram demasiada complacência com a suposta superioridade moral da esquerda em geral e do partido socialista em particular. Confiaram demasiado tempo nestas pessoas com pouca ou nenhuma cultura democrática e acima de tudo intelectualmente do mais desonesto que existe. O resultado é o que se demonstra a seguir.

2

Em 2003, o (des) Governo Barroso alterou a Lei do Apoio Judiciário. Uma lei originariamente feita para que o Estado pagasse as custas judiciais de processos entrados em Tribunal a quem não tivesse possibilidades económicas de o fazer – o Estado assumia esse custo.

O (des) Governo Barroso alterou a Lei, impondo uma real diminuição de hipotéticos candidatos a poderem beneficiar dela beneficiar. Na altura, e paralelamente a isso, alterou-se o código de custas judiciais aumentando-as.

Consequências: Reduzir os beneficiados do apoio judiciário, tornar mais difícil ir a Tribunal; tornar mais caro ir a Tribunal, excluir a ida a Tribunal.

Objectivo: reduzir os tempos de espera para resolução dos casos e poder propagandear que se reduziu “o tempo de acesso à Justiça”.

Pormenor: o pequeno aspecto de isso implicar que imensas pessoas se vejam impedidas de ir a tribunal e que isso é uma característica de Estados Totalitários passou ao lado do Governo Barroso.

Uma característica sempre presente nas sociedades autocráticas e totalitárias é precisamente a tentativa de impedir a discussão de conflitos através da Lei.

Uma técnica usada é reduzir o acesso; aumentando os custos.

3

Na época (2003) o actual Partido Socialista – o mesmo partido político de onde emanou o actual governo gritou muito na comunicação social e no Parlamento contra estas alterações.

Seria pois, lógico assumir-se que a gritaria sistemática levaria às alterações da Lei em questão corrigindo o que os “malandros da direita” fizeram.

De facto levou a alterações mas para pior. Senão vejamos: (primeiro esquema visto do lado esquerdo para o lado direito…).

APOIO JUDICIÁRIO 2008

Este post é feito em conjunção com um post original do Devaneios Desintéricos e que se pode encontrar AQUI.

 

APOIO JUDICIÁRIO 2008-2

4

Ou seja:

Até 31 de Dezembro de 2007 existia um sistema que assegurava, bem ou mal, o apoio judiciário.

Desde essa data, sucede o que está nos esquemas mostrados.

Cito MSD no devaneios:

… o cidadão vê ser-lhe toldada qualquer expectativa de acesso à Justiça. Senão vejamos: se não tiver mandatário constituído (como 99,9% dos cidadãos em semelhantes circunstâncias não têm…) e entender que não tem capacidade económica para sustentar as pesadas notas de honorários dos advogados (como 99,9% dos cidadãos em semelhantes circunstâncias entendem legitimamente não ter…), o cidadão pode preencher um dos questionários de pedido de apoio que lhe são disponibilizados, acaso queira, antes de ser ouvido pela autoridade.”

Mas:

“Mas tal “atrevimento” pode custar caro.” “… se posteriormente a ter pedido o Apoio do Estado a Segurança Social vier a negar o estatuto de insuficiência económica (como, depois de José Manuel Durão Barroso, maior parte das vezes faz…), o infeliz cidadão é obrigado a pagar 150 Euros de coima só por ter dirigido à Administração Pública o desejo de ser por ela…ajudado.”

E ainda:

“… o novo questionário impõe ao cidadão que declare ao Tribunal, naquele exacto momento em que enfrenta uma acusação de que se presume inocente, o valor de todos os seus bens, incluindo saldos de contas bancárias.

Contudo, se se demonstrar que a declaração é, por alguma razão manifestamente falsa (por hipótese, um erro não intencional), o arguido será responsável pelo pagamento de € 750. “

E continuando:

“… mais não resta ao cidadão, acossado por um processo judicial, se não contratar ali mesmo, em pleno Tribunal, o advogado que se lhe aprouver.

Deste modo, evita a quase-certeza das coimas administrativas por se “arrogar” ao direito de pretender receber qualquer coisa do Estado.”

A partir daqui sucede o seguinte:

os advogados também tem as suas contas para pagar. Apresentam o seu preço ao cidadão. Este não paga, porque, por exemplo, não pode efectivamente ou momentaneamente, pagar.

Aí o nosso querido governo socialista num acesso kafkiano mas de maldade e extorsão, emite o seguinte comando.

Após ter sido recusado o apoio judiciário – que por sua vez leva à não constituição de advogado por parte do cidadão – o nosso querido governo estabelece que, por não ter constituido mandatário; isto é, por não ter tido dinheiro para pagar advogado e não ter advogado constituido, o cidadão é multado em 450 euros por isso mesmo.

O que é obviamente contraproducente dado que se a pessoa hipoteticamente não teve antes dinheiro; não o terá depois…

Paralelamente, isto é também algo que afecta todos os cidadãos que não tenham advogado constituido, mesmo que não requeiram apoio judiciário, se bem percebi a lógica desta lei…por analogia…

5

Repare-se ainda no pormenor “macabro”. Duas das multas são superiores ao valor do ordenado mínimo nacional. Um delas é de 750 euros – quantia essa que, talvez dois ou 3 milhões de portugueses não ganham por mês.

É a “festa da democracia”, como o nosso querido primeiro ministro não se cansa de repetir…

Desta “festa democrática” não gosto…

E termino citando o MSD: ” Dividir. Excluir. Explorar. É a lei do mais forte que este PS plasma na Justiça.”

Acrescento: não é só a Lei do mais forte que este PS plasma na Justiça, mas em tudo o resto.

Esquecem-se contudo de um pequeno aspecto: Não é o povo que deve temer o Governo, mas sim o Governo que deve temer o povo.

Written by dissidentex

25/02/2008 at 17:21

EDUCAÇÃO EM PORTUGAL. Como se faz uma coisa e o seu contrário…

leave a comment »

Em Portugal estamos numa marcha para o infinito e mais além. Mas vejamos todos os lados da questão…

Coloquemo-nos num lado da questão. De um lado da questão, verificamos que:

  1. estamos num país que tem uma economia incapaz de criar mais emprego sustentável, do que emprego que se perde;
  2. porque na grande globalização mundial foi destinado ao nosso país esse papel de actor secundário;
  3. paralelamente… é sistematicamente incentivado a que as pessoas estudem;
  4. terminem o ensino secundário … para não termos as maiores taxas de abandono escolar;
  5. e posteriormente se licenciem; seja lá no que for que se licenciem.

É uma forma de enganar as pessoas prometendo-lhes uma miragem – terás melhores hipóteses de arranjar emprego se te licenciares.

Num outro lado da questão,existe um:

  1. sistemático, consistente, regular discurso anti licenciados;
  2. os licenciados são apresentados como sendo os únicos culpados de não arranjar emprego;
  3. os licenciados é que tem que resolver os seus problemas de emprego derivados de “quererem ser doutores”;
  4. a culpa de não arranjarem emprego é sempre exclusivamente deles;
  5. o governo não tem obrigação de arranjar empregos para licenciados;
  6. o governo apenas existe para governar, não para resolver problemas; coisas diferentes…
  7. os licenciados são sistematicamente discriminados nas ofertas de emprego, precisamente porque são …… licenciados.

Isso implica, teoricamente e a priori que terá que lhes pagar mais ordenado.
Ora tal não pode ser.
Esta dualidade da mensagem é criminosa.
Mais a mais numa sociedade completamente decadente, moralmente falida e sem qualquer ideia cívica minimamente estruturada, consistente e lógica.
Logo temos que:
—- de um lado incentiva-se as pessoas a estudarem porque isso lhes garantirá emprego na área em que estudaram – mentira.
—- do outro pratica-se uma política de estigmatização dos licenciados, quase que fazendo deles criminosos porque, coitados, limitam-se a existir (mas quem os manda existir;não podem morrer e desamparar a loja?)
Existem e não arranjam empregos nas áreas para as quais andaram a ser incentivados pelo País e pela sociedade – a vida toda – para se tornarem: licenciados.

Qual é a credibilidade de um país que tem responsáveis políticos (não só os deste governo, note-se…) a incentivar as pessoas a estudar e depois esse mesmo país quase que criminaliza quem estudou e se licenciou?

ESCOLA1

Resta tirar-se algumas conclusões acerca de como “quase todos nós” andamos a ser enganados.

Esta política é idêntica a querer ter o bolo na mão e comê-lo ao mesmo tempo.

Seguindo esta mesma lógica, qual é verdadeiramente o interesse em fazer alunos chegar ao 12º ano se depois, apenas lhes restam duas saídas:.

  1. Ser licenciados e esperar 3 ou 4 anos até serem promovidos a desempregados na área de estudos que escolheram; ou alternativamente, a viverem no magnifico mundo dos recibos verdes ou dos contratos a prazo…
  2. Ou são já desempregados mal terminam o 12º ano e apenas conseguem ser agraciados com empregos sub remunerados ao nível do passar fome e ter que depender dos pais – da família.

Lança-se duas hipóteses de trabalho trabalho analítico para cima da mesa.
Isto é uma questão de estilo, estética e Fashion.
Um desempregado com o 12º ano deve parecer melhor nas estatísticas de desemprego, do que um desempregado com o 9º ano de escolaridade. Ou um licenciado.
Mas aqui surge a surpresa.
Um terceiro lado da questão. (A surpresa pela qual ninguém esperava…)

Chego ali ao vizinho do lado e deparo-me com isto:

AVALIAÇÃO2008

 

Este simples, fácil de entender, BARATO e que se executa em meia hora; esquema de avaliação dispensa palavras.

Carregar na imagem…

Written by dissidentex

23/02/2008 at 11:43