DISSIDENTE-X

BERLUSCONI E A FORZA ITÁLIA EM ELEIÇÕES EM 2006

leave a comment »

No dia 13 de Março de 2006, publiquei uma análise politico-publicitária, num outro blog que fazia, observando a campanha eleitoral italiana desse ano e do que entendi serem os defeitos da campanha publicitário-política-fascizoide de Berlusconi. (perdeu as eleições para Prodi, apenas para um ano depois as voltar a ganhar de novo…)

Importa recuperar esse texto devido ao  que se está  a começar a passar actualmente na Itália – com um certo e determinado conjunto de medidas do actual governo Berlusconi – que funcionam como testes para ver até onde o deixam ir.

À época em que fiz o post isso aconteceu porque tinha ido parar inteiramente por acaso a um blog italiano de apoio a Berlusconi.

Onde existiam poucas ou nenhumas propostas políticas, substituídas por muitas imagens e imensa retórica curta e simplista. E daí comecei a observar os cartazes de campanha  afixados por todo o lado.

A “lógica” dos cartazes é gongórica, minimalista e quase esteticamente declaradamente fascizante.

CARTAZ UM

cartaz-forza-italia-1Simples, curto e grosso. “Forza italia” colocado em cima das cores da bandeira italiana com um fundo azul escuro.

A mensagem de nacionalismo é clara.

A bandeira italiana serve como símbolo forte de uma campanha (isto em Itália tem muita força, dado que só em finais de 1866 teve a Itália a certeza que viria a ser um Estado livre e unificado).

Para todos os efeitos, é um país recente.

Portanto apelar à bandeira e meter / usurpar o símbolo nacional que é a bandeira; misturado/embebbed na expressão “Forza Itália” é uma garantia de rendimento eleitoral.

O que a mim, aqui, me surpreende, é a relativa discrição do cartaz.

mussolini-cartaz-de-vitoriaEspanta-me que o fundo azul seja demasiado escuro” para o efeito que se pretende.

Isto em função dos outros cartazes que se analisam mais abaixo.

Outra coisa que eu achei interessante é a expressão “Forza Ítalia” – os caracteres serem todos lisos e hirtos, sem “curvas” na expressão. *

Nota (escrita actualmente): a minha observação deriva(va) de ver a imagem “Forza Itália” com os “olhos” da actualidade.

E pelos olhos da realidade, actual este cartaz é “fraco e simplista visualmente” e as letras – o formato e o tipo delas contam para isso, para essa fraqueza.

No entanto podemos “levemente especular” e perceber olhando para um cartaz antigo de apoio a Mussolini, um cartaz de apoio a Mussolini lá pelos idos de 1936, salvo erro.

E nota-se – olhando para a letra deste cartaz antigo e comparando com o “novo” da “Forza Itália” algumas semelhanças (e procurando outros antigos outras semelhanças emergem…) na apresentação da “mensagem”.

No cartaz “Forza Italia” existe uma diagonal a “enviar a mensagem para cima, e no outro cartaz, existem “mãos ” a enviar a mensagem para cima…

De notar ainda que existem dois corpos centrais na imagem: uma imagem (respectivamente, a bandeira e as mãos) e uma mensagem “simples” – letras com uma ideia expressa – nacionalismo e  uma alusão – união.

Por morte-ao-euro-sueciacomparação dos caracteres note-se o cartaz sueco de campanha de não adesão ao euro – uma imagem forte (a morte associada ao euro) e as letras em fundo negro com o “estilo liso”.

Fico com a ideia que este cartaz “Forza Itália é mais, digamos assim, um decalque do que seria um eventual autocolante ou a ideia de um autocolante do que um cartaz a usar sistematicamente.

Apenas um chamariz e um pequeno símbolo da “Forza Itália”.

O mais estranho é que, comparativamente, o cartaz sueco é mais forte do que este da Forza Itália.

O que denota menos convicção berlusconiana em quem fez este cartaz do que a dos suecos que fizeram o outro cartaz.

Apesar de tudo concorrer a um cargo de primeiro ministro será, teoricamente, mais importante do que aderir a uma moeda nova…. mas existe, de facto uma pequena estética fascista de apelo constante ao nacionalismo no que este tem de pior.

CARTAZ DOIS

cartaz-forza-italia-2No cartaz dois  aparecem as bandeiras a tremular (na mais completa aproximação à estética fascista), ao longe, mas elas tremulam com a expressão “Forza Itália” nelas inscrita.

A ideia é convencer subliminarmente quem vê, que a pátria só será bem conduzida se o for nas mãos suaves, mas firmes da “Forza Itália”.

Conclusão:a Forza Itália neste contexto é superior à Itália; melhor que a Itália, ao ponto de nós, os que vemos a imagem, subentender-mos que as cores por debaixo da expressão “Forza Itália” são as da bandeira italiana, mas ao mesmo tempo estão esbatidas.
A pátria esbate-se, pois, perante a “Forza Italia” de Berlusconi…Tudo pela pátria, mas primeiro a “Forza Italia ” de Berlusconi…

Depois surge uma péssima fotografia de Berlusconi , mas a qual, para os seus seguidores acríticos acham ser fantástica.

Daí a terem escolhido para inserir. Ou isso, ou sabotagem propositada.

Berlusconi quer parecer feliz e normal, e apenas consegue parecer cínico e sacana. Não sei quem teve esta ideia de escolher esta fotografia.

(Nota actual: Berlusconi foi nos seus primeiros tempos, pianista de cruzeiros. Este parece um cartaz a anunciar um dos seus espectáculos…)

Suspeito que terá sido alguém que se inseriu subrepticiamente na campanha de Berlusconi e manobrou pela sabotagem, dado que a fotografia é intensamente má. (Óptimo, digo eu que nada gosto de Berlusconi, mas acima de tudo do estilo populista pseudo fascista e nacionalista bonzo que os Berlusconis deste mundo tem…).

CARTAZ TRÊS

cartaz-forza-italia-3

Nesta terceira imagem da galeria berlusconiana temos mais do mesmo.
Mas desta vez Berlusconi está a olhar, a rir-se para o outro lado.

A fotografia continua a ser má – desta vez Berlusconi ( sem ofensa para quem tem…) parece que tem síndroma de down – mas é menos má que a de cima.

Volto a achar que “o sabotador” que escolheu estas fotografias estava a sabotar bem.
Existe algo de errado na concepção global do cartaz (tirando o próprio Berlusconi que é um erro de casting…) que é a colocação do símbolo da pagina web no topo direito da folha.

Devia estar em baixo, mas está em cima porque está no melhor sitio para ser visto. Isto indica que a campanha de Berlusconi quer adesão via pagina web, entre outras coisas.

Depois existe a parte pior do cartaz em termos eleitorais, na minha modesta opinião.

O cartaz oscila entre o positivo e o negativo, mas falha em tudo o que pretenderia atingir. Por um lado tenta apresentar Berlusconi como positivo, embora só consiga fazê-lo parecer que tem síndroma de down e por outro insere uma mensagem negativa acerca da “sinistra” – a esquerda.

Esta, a esquerda (malvada e mefistofélica) , diz: “que tudo vai mal, e a resposta será em ?!amarelo?!“deixe-mo-la perder” (ou perder-se…).

Onde está o cartaz com a expressão a branco que diz que a esquerda está mal, então, essa expressão deveria estar a negro para identificar a esquerda com algo de escuro e nebuloso.
E mau e frio.

Mas não – aparece a branco – uma cor neutra.
Uma cor que significa pureza e virgindade.

(Que a esquerda é virgem já todos nós sabemos, dada a maneira como se comporta quando chega ao poder, mas do ponto de vista de uma campanha anti esquerda, é bizarro que se atribua características “positivas” em vez de negativas).

E o amarelo, que é uma cor italiana (cá está o apelo ao nacionalismo) funciona como elemento negativo. Ou seja é escolhida uma cor italiana (o amarelo), logo simbólica do que é o nacionalismo italiano e é aplicada “ao inimigo” que se deseja achincalhar?

A razão, penso eu, é simples e básica como tudo nos cartazes de campanha de Berlusconi.

Como o cartaz tem que ter um fundo azul escuro não se pode pôr letras escuras num cartaz azul escuro… e tem sempre que se estar a bater na tecla do nacionalismo.

Berlusconi está também do lado errado do cartaz. Ou estava ao meio ou estava no lado direito, não do esquerdo.

Afinal o homem ATÉ DIZ que é de direita … mas como tem que estar a rir-se de forma imbecil e alarve, colocada esta fotografia do lado oposto pareceria que estava a descair e a sair do cartaz escorregando e rindo-se com isso – a dar a ideia que iria perder logo as eleições por escorregamento de cartaz.

Ai, quem escolheu o ordenamento estético do cartaz, optou por uma solução de compromisso: meteu as bandeirinhas esteticamente aproximadas ao estilo fascista de propaganda, no lado direito, e Berlusconi do esquerdo, para fazer uma espécie de associação feliz entre a pátria – com as bandeiras tremulando ao vento, simulando vitórias guerreiras imaginárias, eventualmente até, numa aproximação às proezas do império romano e o líder – “o Duce moderno” que tudo irá salvar.

Mas tudo aqui é simbólico da treta que esta candidatura é – uma candidatura de plástico – e também das fracas ideias desta candidatura.
CARTAZ QUATRO

cartaz-forza-italia-4No quarto cartaz que apanhei, verifica-se que é um cartaz de Prodi, o, presume-se, arquivilão hediondo e rival de Berlusconi.

Comparando com o cartaz de cima este é mais claro.
Ou seja o candidato apresenta-se a si mesmo mais escuro do que o cartaz onde directamente ataca o candidato opositor.

Depois, na minha modesta opinião, as letras estão trocadas em tamanho- “Prodi” devia ser mais pequeno, e “no grazie” maior.

Se se está a definir – pela negativa – Prodi deve ser reduzido em tamanho, deve ser “tornado” mais pequeno, digamos assim.

Depois aparece do lado direito o “Forza Italia” em ponto pequeno – a parte melhor do cartaz e o “site anti Prodi”, colocado no pior sitio do cartaz para ser visto e com um tom azul escuro – que reflecte a cor da “Forza Italia”, mas que foge ao olhar de quem vê.

De qualquer forma tem uma situação positiva que é o de dizer a mensagem de forma simples. O azul claro de fundo está a mais.

Portanto Prodi é um horror mas é visto com um céu azul como fundo?

Se Prodi é mau, vil e grotesco é visto a um fundo azul celeste?
Pessoalmente digo: em Portugal da esquerda à direita faz-se melhor…

CARTAZ CINCO

Neste cartaz aqui retratado, que aparenta ser um dos principais da campanha, Berlusconi aparece com a sua cara de cínico e sacana – a tal em que a fotografia foi de certeza sabotada, ironizo eu – e existe um apelo ao voto com uma cruz por cima do simbolo berlusconi presidente/forza italia, que dá a entender que não se quer berlusconi como presidente.

cartaz-forza-italia-5

Até em Portugal já se percebeu isto e põe-se sempre imagens de um boletim de voto ou um quadrado com alguém a desenhar uma cruz.

Aqui dá a ideia que será uma cruz a recusar berlusconi. Depois vem a fase “vamos andar em frente” .

Tendo em conta as asneiras do governos Berlusconi não parece muito liquido que os cidadãos italianos queiram ir por aquela frente mas enfim.

Mais um apelo semi totalitario, semelhante a muitos que se ouvem falando de um imaginário “andar em frente”ou seja, fazendo alusões à velocidade, ao movimento de ir de um lado para o outro, de ultrapassar quem está atrasado.

É um argumento, profira-o quem o proferir, profundamente totalitário, indicando que uma sociedade está parada (não é verdade, nenhuma sociedade está parada) e que só o que chega – “o ungido de Deus” ,”o escolhido “, “o eleito” que já foi e virá a ser é que terá a suprema e divina capacidade de ir em frente (seja lá onde isso for) e ir adiante. (seja lá onde isso também for…)

E por detrás dele as bandeiras tremulam ao vento, quase que, ostentando o símbolo da legião romana acabou de arrasar Cartago ou como uma qualquer campanha italo-abssinia que virá a ser feita e tornará de novo o mediterraneo um lago italiano…

CARTAZ SEIS

Neste temos a estética do Ac Milan. ( comparar com a foto do emblema do clube)

cartaz-forza-italia-6

Repare-se na parecença dos logótipos.

O centro é redondo em ambos os logos,com a diferença que a parte redonda no símbolo berlusconi é total.

Convém( a quem fez o cartaz) não dar nas vistas e plagiar totalmente o simbolo do clube.

Mas a associação entre um símbolo e o outro é completa. Berlusconi é presidente do Ac Milan.

Depois dentro do circulo existe a mensagem de mais 5 anos de Berlusconi presidente.

Sempre com a bandeira italiana ao findo submersa e embebida nos simbolos berlusconianos, sugerindo um amor sexual intenso de Berlusconi pela itália.

Esta mania dos políticos em campanha eleitoral acharem que são sempre mais patriotas que o comum dos cidadãos é uma praga viral por todo o lado…

Depois também existem algumas linhas e desenhos no símbolo berlusconiano que parecem inspirados da parte direita do símbolo do Ac Milan sugerindo linhas perpendiculares que se atravessam umas as outras, mas que o emblema berlusconiano não deixa ver.

O mais irónico disto é o seguinte: em Milão existem dois clubes; o Internazionale Milan (Inter Milão e o Associazone Calcio Milan (Ac Milan).

Conforme uma vez me foi explicado por um amigo italiano, o Inter de Milão sempre foi o clube dos ricos ( nasceu assim ) e dos aristocratas, dai a sua cor ser o azul (sangue azul…)
logotipo-ac-milaoJá o Ac Milan era o clube do povo, dos proletários, dos pobres.

Dai a cor vermelha, associativa e simbólica das massas…
Tendo esta história como base, até dá que pensar no porquê de Berlusconi gostar do Ac Milan e não do Inter. Será que no Inter não lhe reconheceram pedigree de direita suficiente para entrar? Mas adiante…

Tudo é fraco, tudo é gongórico nesta campanha, os cartazes são feiosos (pelo menos estes que tirei) e existe um apelo a técnicas fascistas de propaganda algo desagradável.

Apesar de tudo, bem diferente, do que se faz em campanhas eleitorais portuguesas.

Anúncios

Written by dissidentex

04/03/2009 às 21:03

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: