DISSIDENTE-X

MANUEL VILAVERDE CABRAL E CAVACO SILVA – ENTREVISTA 10 JULHO 2009

Notícia jornal online I.

10 Julho de 2009.

O que é que nos torna ingovernáveis?

A saída do PREC. E aqui introduzo uma distinção: enquanto as pessoas de esquerda, como eu, dizem que foi a saída do PREC – isto é, a marginalização da esquerda – as pessoas de direita, dizem que foi o próprio PREC. Neste momento, Portugal tem mais de 20% a votar à esquerda do PS, e as duas organizações principais que representam esses eleitores são mantidas completamente fora do sistema desde 1975. E como tal, irresponsabilizadas: nunca foram chamadas a pronunciar-se, nunca foram chamadas para o governo, nunca se discutiu nada com elas.

Como poderiam ter sido chamadas aos governos se eles são sempre ditados pelos resultados eleitorais?

Mas não teria sido obrigatório ir para o governo! E agora, em Setembro, não vai haver seguramente nenhuma maioria no Parlamento que não inclua, pelo menos, um entendimento do PS à esquerda. A não ser que seja o PSD a fazê-lo. Ah, (risos) estou a ironizar. Portanto, esses prováveis 20% de votos – mesmo que sejam 18% – vão faltar seja ao PS, ou seja a quem for. ”

PERSUASÃO.

Ø

E Cavaco, em tudo isto?

Não sei se o Presidente da República não é vítima do calendário eleitoral. Mas é com certeza vítima dos nossos maus hábitos políticos… sendo ele mesmo, desde há muitos anos, um membro activo e importante desse nosso sistema. Portanto, o problema da reeleição é um bocado inibitório.

Será reeleito com os votos de quem?

O que eu penso é que se há em Portugal alguém capaz de pensar no país, é Cavaco Silva. Embora ele também possa pensar como Mário Soares e dizer a si mesmo: “Vou respeitar os equilíbrios eleitorais e depois, uma vez reeleito, reavaliarei a situação.”

Com um novo governo instalado…

…mas não vai haver nenhum governo instalado! O que vai haver é arremedo atrás de arremedo. Repare que o período mais agudo desta crise pode vir a terminar, mas todos os economistas predizem mais 10 anos de estagnação. Portanto, as pessoas vão continuar descontentes, os partidos de governo vão continuar a não ser capazes de resolver os problemas…

Então o Presidente, uma vez reeleito, rearrumará o sistema, espera você?

Num sistema semipresidencial e por pouco semipresidencial que seja, há muita coisa omissa. Lembro-me que os grandes constitucionalistas portugueses ficaram furibundos quando eu disse em tempos que não havia nada na Constituição que proibisse o Presidente da República de presidir ao Conselho de Ministros. Tinham -se esquecido de pôr lá um artigo a proibir isso! Mas voltando a Cavaco: caso ele pretenda e consiga intervir mais do que tem feito até aqui, o normal é que contribua sobretudo para refazer o seu partido, o PSD, obrigando assim, por dinâmica e por tabela, o PS a refazer-se.

WISHFULL THINKING.

Anúncios

Written by dissidentex

11/07/2009 às 13:03

%d bloggers like this: