DISSIDENTE-X

LUTA PELO CONTROLO DAS FONTES DE PRODUÇÃO

Em Setembro de 1999, (altura em que o discurso foi feito) a convicção fabricada relativamente ao aumento da procura de fontes de energia – certas fontes de energia – era a seguinte.

– Que existiriam aumentos na procura dessa mesma energia (especificamente petróleo) com taxas de subida anuais de 2%.
– Que existiria uma descida de 3% na produção mundial de petróleo e de descoberta de novas fontes de produção do mesmo.

By some estimates there will be an average of two per cent annual growth in global oil demand over the years ahead along with conservatively a three per cent natural decline in production from existing reserves.

That means by 2010 we will need on the order of an additional fifty million barrels a day. So where is the oil going to come from?

Governments and the national oil companies are obviously controlling about ninety per cent of the assets. Oil remains fundamentally a government business. While many regions of the world offer great oil opportunities, the Middle East with two thirds of the world’s oil and the lowest cost, is still where the prize ultimately lies,

It is true that technology, privatisation and the opening up of a number of countries have created many new opportunities in areas around the world for various oil companies, but looking back to the early 1990’s, expectations were that significant amounts of the world’s new resources would come from such areas as the former Soviet Union and from China. Of course that didn’t turn out quite as expected.

Relativamente a Portugal uma pequena achega.

Se o vice presidente dos EUA até 2008, um senhor chamado Dick Cheney, afirma num discurso de 2004 ( colocado online desde essa data,após ter sido removido do site original…) que

Oil remains fundamentally a government business.

então porque é que a companhia portuguesa de petróleo chamada Galp começou a ser privatizada desde 2005 em diante?

Os interesses do Estado português neste grande jogo de conquista de fontes de energia não foram defendidos nem a autonomia estratégica do próprio Estado. Mas os interesses de estruturas de poder privadas, materializadas através do controlo accionista foram defendidas.

Se o médio oriente disse Dick Cheney”

is still where the prize ultimately lies,

então, tendo em conta que o conteúdo do discurso foi feito em 1999, estranhamos a existência da segunda guerra do Iraque porquê?

Citando a partir do Inbetween:

IRAQUE OIL -INBETWEEN1

O valor económico e estratégico destas províncias é óbvio no sentido em que Al-Basrah…

representa cerca de 60% da produção de crude do país e 70% das reservas, Maysan quase 8% e apesar de tradicionalmente a província de Dhi Qar ser apenas encarada como um parque arqueológico gigante há rumores que recentes prospecções possam indicar que possua cerca de 5% das reservas do país.

Aliás a própria implantação dos vários interesses anglo-saxónicos (em termos de objectivos económicos e políticos estão cada vez mais complicados de distinguir… a

unidade de opiniões e interesses leva-nos a questionar se vale a pena continuar a referir o Reino Unido como um país europeu) mostra uma clara concentração nas províncias a sul. Daí a necessidade de investimentos numa marinha, da fomentação de uma federação no sul do país.

A disposição tática norte americana é também importante.

IRAQ OIL -INBETWEEN2

As tropas estão colocadas onde

is still where the prize ultimately lies,

Não estão colocadas para defender direitos humanos.

Quem afirmar o contrário, ou mente em interesse próprio, ou apenas mente.

Anúncios
%d bloggers like this: