DISSIDENTE-X

PINGO DOCE: A EMPRESA QUE DÁ SINAIS ERRADOS À COMUNIDADE( E GOSTA…)

Ø

«Um tribunal do Porto acaba de condenar um sem-abrigo a multa de 250 euros por tentar furtar um polvo e um champô, no valor de 25,66 euros. Não é certo que o homem venha a cumprir pena, por não ter paradeiro fixo. Entretanto, a cadeia Jerónimo Martins está a ser alvo de reprovação por – face ao valor do furto – ter decidido avançar com um processo que terá custado milhares de euros aos portugueses. O Pingo Doce defende-se: manteve a queixa para estabelecer o exemplo e não “dar sinais errados à comunidade”.

“Quem tem um negócio de portas abertas ao público, como é o caso, está particularmente vulnerável ao pequeno furto e não pode deixar de agir, sob pena de dar sinais errados à comunidade” e “neste caso, a pessoa em causa já estava referenciada nas lojas do Porto como alguém que tinha incorrido, por diversas vezes, neste tipo de comportamento”, sustenta o grupo Jerónimo Martins, para justificar a decisão de não desistir do processo contra o sem-abrigo que tentou furtar um polvo e um champô.»

Ø

Notícia da comunicação social, dia 31 de Janeiro de 2012

Ø

Ø

Dona do Pingo Doce vende capital a subsidiária holandesa

A Jerónimo Martins, dona dos supermercados Pingo Doce, anunciou nesta segunda-feira que a sociedade Francisco Manuel dos Santos vendeu a totalidade do capital que detinha no grupo à sua subsidiária na Holanda, mas mantém os direitos de voto.

Em comunicado enviado à Comissão de Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), o grupo informa que “no passado dia 30 de Dezembro de 2011 a sociedade Francisco Manuel dos Santos SGPS vendeu à sociedade Francisco Manuel dos Santos B.V. (subsidiária), que comprou àquela, 353.260.814 acções da sociedade aberta Jerónimo Martins SGPS, representativas de 56,136 por cento do capital social e 56,213 por cento dos respectivos direitos de voto”.  

Assim, a sociedade Francisco Manuel dos Santos SGPS “deixou de ser titular de qualquer acção da sociedade aberta Jerónimo Martins SGPS”.  

No comunicado, a empresa informa que a sociedade Francisco Manuel dos Santos SGPS domina a subsidiária holandesa “por poder exercer os correspondentes direitos de voto nos termos do acordo parassocial”,  

Deste modo, os direitos de voto inerentes às acções da Jerónimo Martins SGPS, objecto da compra e venda anteriormente mencionada permanecem imputados à Francisco Manuel dos Santos SGPS SA”.  

Ø

Notícia da comunicação social,dia 1 de Janeiro de 2012

Ø

%d bloggers like this: