DISSIDENTE-X

ANTÓNIO BORGES, O PINGO DOCE, O ESTADO PORTUGUÊS, PEDRO PASSOS COELHO, O PSD E O ÓBVIO CONFLITO DE INTERESSES

Ø

Há conflito de interesse quando alguém obtém uma vantagem indevida, direta ou indireta, utilizando-se de algum poder dentro da empresa. O interesse da empresa (seu direito) é que todos os seus recursos sejam empregados para os fins legítimos e legais a que ela se propõe. O interesse do colaborador (seu dever) é realizar seu trabalho de modo adequado para receber sua devida remuneração e isso implica em fazer com que os recursos da empresa sejam empregados exclusivamente de acordo com seu propósito. Tirar proveito pessoal indevido desses processos é uma transgressão ética. Conflito de interesse também é entrar em concorrência desleal com a empresa, por exemplo, realizando serviços que são próprios da empresa e cobrando por fora, por eles. Observe-se que não apenas o conflito de interesse real é condenável, mas também o aparente: pois todo conflito afeta a imagem da empresa e isso nem sempre pode ser corrigido. O público externo deve ter todas as evidências de que todos os procedimentos da empresa visam exclusivamente aos seus objetivos legítimos e legais.

Ø

WIKIPEDIA, acedido a 17 de Março de 2012

Ø

Ø

Fonte: comunicação social, propriedade do principal concorrente comercial, em Portugal, da Jerónimo Martins.

Ø

A pessoa que foi colocada como responsável pela comissão que vai fazer privatizações vai trabalhar para um grupo privado que pode ser um dos interessados em comprar algo a privatizar.

E quer-se fazer crer às pessoas, com o maior dos descaramentos, que não existe conflito de interesses entre as posições desta pessoa e os seus cargos a desempenhar.

Entre isto e comunismo de estado, não há diferença nenhuma.

Ø

Este senhor faz parte da comissão que avalia as parcerias público privadas.

Se a Jerónimo Martins quiser fazer parcerias publico privadas com o estado português, este senhor defende os interesses de quem?

Ø

(…) No caso de ser nomeado administrador para a Parpública, a jurista Olinda Magalhães não tem dúvidas: «Seria incompatível – aplica-se o regime de incompatibilidade de titulares de cargos públicos; o que obriga a uma série de requisitos como regime de exclusividade e permanência. Mas até agora não dispomos de informações sobre a nomeação».(…)

Ø

Notícia da comunicação social, dia  16 de Março de 2012

Ø

Um grupo privado que passa a ter informação privilegiada sobre os negócios do Estado e que pode eventualmente beneficiar disso passou a ser considerado normal com o PSD no governo…

Ø

(…)

“Não podemos ignorar que muitos dos nossos problemas económicos têm numa origem política. Demasiadas vezes colocámos um grupo contra o outro, incentivámos um jogo de interesses que prejudica todos”, disse.

(…)

Em síntese, para Pedro Passos Coelho, as pessoas e as empresas “exigem uma economia com mais concorrência, pois é a concorrência que confere a todos uma oportunidade de ter sucesso e elimina núcleos de privilégio injustificados”.

(…)

Numa crítica ao passado do país, Pedro Passos Coelho lamentou que “durante demasiado tempo” se tenha “permitido que interesses particulares obtivessem vantagens que são necessariamente desvantagens para outros e sobretudo para o todo da economia e da sociedade”.

Ø

Notícia da comunicação social, dia 21 de Janeiro de 2012

%d bloggers like this: