DISSIDENTE-X

Archive for Junho 2012

SELECÇÃO PORTUGUESA DE FUTEBOL – OS CAMPEÕES MUNDIAIS (EM TÍTULO) DAS VITÓRIAS MORAIS

Ø

Ø

A selecção dos tachos, dos “amigos”, dos dirigentes lapas e parasitas, que viajam à borla (à conta do erário público), a selecção das tretas retóricas que passa a vida a contar choradinhos e orientada pelos desígnios dos patrocinadores, do Presidente de um clube, e pelo empresário que controla metade da equipa, a selecção do ego egocêntrico matacão que dentro de campo raramente justifica PERDEU.

A SELECÇÃO DO CULTO DE PERSONALIDADE PERDEU E AINDA BEM QUE PERDEU.

AINDA BEM QUE ESTA SELECÇÃO PERDEU.

VÃO ENGANAR OUTROS COM TÁCTICAS PARA JOGAR PARA OS PENALTIES…

Ø

A selecção de alguns dos jogadores que foram a este campeonato, e que lutaram dentro de campo como se deve lutar, para ganharem dentro de campo, merecem ser elogiados. Só esses.

ESSA SELECÇÃO MERECE RESPEITO.

MAS ESSE É O CONCEITO DE SELECÇÃO QUE ESTÁ EM MINORIA…ESSE É O VERDADEIRO CONCEITO DO QUE DEVE SER UMA SELECÇÃO NACIONAL, MAS QUE NÃO É APLICADO E NUNCA FOI.

Ø

Agora já começou o discurso dos “somos pequeninos” mas “somos grandes”, agora já começou o discurso do “jogámos contra a Espanha que é campeã do mundo”, agora já começou o discurso de ” caímos com dignidade e fizemos um campeonato da Europa que é extraordinário”.

Agora os dirigentes e demais parasitas não aparecem a arrotar tretas.

Agora já começou o discurso da falta de sorte, do miserabilismo retórico, do Salazarismo pós moderno (os valores do pobre mas honrado que foi derrotado por adamastores…) como forma de desculpabilização.

O conformismo ridículo.

Nos últimos 20 anos tem sido essa a nota de uma selecção que nunca se prepara para ganhar coisa alguma, apenas se prepara para dar a ilusão que irá ganhar alguma coisa. (e assim continuar a servir propósitos e interesses particulares e a servir para enganar a população…)

Posers é a expressão inglesa que os caracteriza.

Agora a classe sabuja – jornalística que os adora, os bajula, os endeusa,  está triste; o tacho e as viagens para sítios semi exóticos terminam.

Agora a convivência com os “craques” e a oportunidade de lhes dar mais graxa e ser mais sabujo termina…

Ø

Esta é a “selecção” (e o país) que é perfeitamente exemplificada na imagem abaixo.

“O SÍMBOLO DA COISA”

O SÍTIO DOS DESENHOS

Ø

Declaração de interesses: o autor deste blog até gosta de futebol, mas já deu para o peditório chamado “selecção nacional”.

Anúncios

Written by dissidentex

27/06/2012 at 18:16

OS “ÊXITOS” DO GOVERNO DO PSD (E CDS) NA ÁREA DO VESTUÁRIO E DA CONSULTA HOSPITALAR…

Ø

Três milhões sem comprar roupa

A política de austeridade não está apenas a deixar os bolsos dos cidadãos mais vazios. Está também a torná-los mais velhos e usados. Cerca de 2,96 milhões de portugueses, o equivalente a 34,4% da população com mais de 15 anos, não compraram qualquer peça de vestuário nova, entre o início de Abril de 2011 e o final de Março de 2012, de acordo com um estudo da Kantar Worldpanel, especialista em hábitos de consumo, encomendado pela Associação Portuguesa de Empresas de Distribuição.

Os resultados são um sinal de que a privação económica está a afectar as famílias portuguesas. Apesar de o estudo não o indicar, o sociólogo e investigador do Observatório das Desigualdades, Renato Miguel do Carmo, diz serem as classes média e baixa as mais prejudicadas pela crise económica e financeira, levando-as a abdicarem de bens como o vestuário.

«Parece haver uma reconfiguração dos hábitos de consumo das famílias», refere ao SOL o investigador. «Tudo é cortado, até os bens mais básicos, como o vestuário e até a alimentação».

(…)

Tal obriga as empresas portuguesas do sector a cortarem custos – despedir trabalhadores e fechar lojas – para se adaptarem à redução do consumo. João Costa tem esperança que a economia atinja «um ponto de inversão».

Ø

Notícia da comunicação social, sobre os êxitos comerciais” da política de austeridade do actual conjunto de pessoas pouco recomendáveis que estão no governo, dia 26 de Junho de 2012

Ø

Ø

Dispara tempo de espera nas consultas hospitalares

Escreve o Jornal de Notícias que disparam tempos de espera para consultas e cirurgias. Os hospitais estão a piorar os tempos de resposta aos doentes encaminhados para primeiras consultas. No ano passado, só 1/3 dos urgentes teve resposta em um mês.

Segundo o Jornal de Notícias, no ano passado, só 33% dos doentes encaminhados pelos centros de saúde para uma consulta de especialidade “muito prioritária” conseguiram resposta dentro de um mês quando, no ano anterior, a capacidade de resposta dos hospitais era de 84%.

Ø

Notícia da comunicação social, sobre os êxitos do actual governo do PSD (e CDS) cheio de pessoas pouco recomendáveis, relacionado com os tempos de espera para atendimento na área da saúde.

Ø

COMO A ALEMANHA LIDOU COM O SEU CASO MIGUEL RELVAS

Ø

TRANSCRIÇÃO INTEGRAL DE UMA NOTÍCIA DO I ONLINE

Ø

O presidente alemão Christian Wulff ameaçou um jornal para travar a publicação de uma história. O rápido desfecho do caso mostra que o défice português não é só orçamental

Foi em Dezembro do ano passado que o tablóide “Bild”, o jornal mais popular da Alemanha, descobriu uma história sobre o então presidente da República, Christian Wulff. Quando era governador da Baixa Saxónia, Wulff recebeu um empréstimo de 500 mil euros concedido a “preço de amigo” pela mulher de um empresário – o caso em si (vagamente parecido com o de outro presidente e de um banco chamado BPN) não seria grave se Wulff não tivesse garantido ao parlamento regional meses antes, depois de outro pequeno caso, que nunca tivera qualquer ligação de negócio com o mesmo empresário. O “Bild” tinha apanhado o cheiro a favorecimento e uma “ocultação” – a ligação, afinal, era com a mulher.

Ø

Ø

Quando soube que o “Bild” tinha a história, o presidente alemão ligou ao director do jornal. Como não o apanhou, Wulff deixou uma mensagem pejada de ameaças de processos judiciais e de corte de relações com o grupo que detém o jornal caso a história visse a luz do dia. Ao mesmo tempo, o presidente ligou ao director do poderoso grupo de media Springer para o convencer a pressionar o “Bild” para este não publicar a história.

A direcção do “Bild” não hesitou e publicou mesmo. E fez mais. Deixou sair o conteúdo da mensagem do presidente para dois dos jornais de referência do país, o “Frankfurter Allgemeine Sonntagszeitung” e o “Süddeutsche Zeitung”, confirmando no dia seguinte as notícias. O caso tornou-se um escândalo. Na Alemanha é um escândalo que um político telefone a jornalistas com ameaças.

Numa questão de dias uma sondagem mostrou que o apoio dos alemães ao presidente tinha caído de 63% para 47%. Toda a imprensa de referência do país – que incluiu o “Financial Times Deutschland”, o “Die Zeit” e a revista “Der Spiegel” – se uniu de imediato a exigir a demissão de Wulff. A chanceler, Angela Merkel, manteve o apoio, mas entre os aliados do presidente começou a ouvir-se um silêncio ensurdecedor.

Ø

Ø

As notícias subsequentes deram conta de uma chamada do presidente para o director do “Bild” com um pedido de desculpas e uma justificação: Wulff só queria mais tempo para responder às alegações da peça e nunca chegou a ameaçar (deve haver um manual político internacional para estas coisas). O “Bild” tinha a gravação e ameaçou divulgá-la. Entretanto soube-se que Wulff já tinha pressionado antes jornalistas do “Die Welt”, ameaçando-os com “consequências públicas desagradáveis”.

O presidente pediu desculpa publicamente por ter ocultado o empréstimo, acabando na mesma crucificado pela imprensa. O caso, entretanto, foi crescendo de dimensão, com vários jornais a noticiarem outros pequenos favores concedidos a Wulff – desconto feito no leasing de um carro, férias pagas por outro empresário – enquanto governador. Os casos em si não eram muito graves, mas como se lê num editorial da “Der Spiegel”, “compõem uma imagem” do homem. Perante os indícios nos media houve investigações dos procuradores públicos na Baixa Saxónia, que em meados de Fevereiro pediram ao parlamento federal em Berlim que levantasse a imunidade do presidente. Sem apoio político e sem crédito na sociedade alemã, Wulff demitiu-se.

Ø

Ø

Há diferenças (a mensagem gravada) entre o caso do presidente alemão que ameaça e o do ministro português que ameaça, mas a história é suficientemente parecida. O caso Wulff mostra-nos que, ao contrário da mensagem que os alemães nos vendem, também há má política na impoluta Alemanha. Mas mostra mais: na Alemanha há instituições (poder judicial, comunicação social) que funcionam, apoiadas numa sociedade que não perdoa a falta de transparência. Olhando para a reacção geral perante o caso Miguel Relvas – ou o caso do roubo dos gravadores pelo deputado socialista Ricardo Rodrigues –, percebemos que o fosso que separa Portugal da Alemanha está longe de ser apenas económico. Wulff, em Portugal, terminaria o mandato.

Ø

Notícia da comunicação social, dia 22 de Junho de 2012

O PSD, MIGUEL RELVAS, HELENA ROSETA, PEDRO PASSOS COELHO E O NEPOTISMO

Ø

Helena Roseta conta um caso edificante passado com Miguel Relvas.

Ø

Ø

TRANSCRIÇÃO DO VÍDEO

(…) É uma historinha que eu ainda quero contar sobre o ministro Relvas… (…)

É uma historiaque se  passou comigo, não tem nada a ver com o relatório da ERC, não tem a ver com este conflito em particular do publico … eehhh, mas tem a ver com a figura do Miguel Relvas. Eu acho que o Miguel Relvas é uma pessoa trabalhadora, rápida, é diligente, anda com uma velocidade acelerada, sempre andou… à uma certa altura ele era secretário de estado do poder local e eu era presidente da ordem dos arquitectos. e o Miguel relvas falou-me para eu ir lá falar com ele porque havia uma possibilidade de haver uma acordo entre a secretaria de estado e o ordem dois arquitectos e la fui eu,

 e o acordo era sobre um programa chamado foral que se destinava a fazer formação dos arquitectos municipais com verbas comunitárias.

Encantados, nós temos centenas de arquitectos nas câmaras municipais , temos o maior interesse em fazer formação, sim senhor.

Mas havia uma condição!

E a condição era simplesmente esta.

A formação tinha que ser feita pela empresa do Doutor Passos Coelho.

E eu fiquei passada e disse:

Desculpe lá senhor secretário de estado, nessas condições não há acordo nenhum,

e não houve!

O passos coelho nessa altura era um empresário, legitimamente, tinha a sua empresa que fazia as suas actividades, tudo isto perfeitamente legitimo.

O que eu achei completamente excessivo foi o secretario de estado dizer-me a mim na minha qualidade de presidente de um órgão publico que era a ordem dos arquitectos …

Nós fazemos isto com vocês, desde que vocês contratem a empresa deste senhor.

Azar dos tavóras , esse senhor dessa empresa é hoje o primeiro ministro e que manda no doutor Relvas.

Isto para mim…

Ø

Ø

Nepotismo (do latim nepos, neto ou descendente) é o termo utilizado para designar o favorecimento de parentes (ou amigos próximos) em detrimento de pessoas mais qualificadas, especialmente no que diz respeito à nomeação ou elevação de cargos.

Wikipedia

DA GUERRA

Ø

“As guerras vão e vem, mas os meus soldados são eternos”

Ø

Tupac

Written by dissidentex

22/06/2012 at 19:01

Publicado em TUPAC

Tagged with

O PSD, MIGUEL RELVAS E A ERC: UM “ORGÃO”?!?! REGULADOR QUE NÃO REGULA NADA, APENAS BRANQUEIA

Ø

A deliberação sobre as pressões e ameaças de Miguel Relvas ao jornal “Público”, em que, como era de esperar, a maioria escolhida por PSD e CDS dá tudo como não provado, apenas confirma a evidência: esta estrutura partidária não regula nem pretende regular coisa nenhuma. O facto de um dos membros que deliberou sobre este assunto, a jornalista Raquel Alexandra, ser, como a própria confirmou, amiga muito próxima de Miguel Relvas e não se ter escusado a participar neste embuste é apenas mais uma prova de como a ERC não faz qualquer questão de se dar ao respeito.

A ERC é apenas mais um exemplo do falhanço da regulação em Portugal. A Autoridade da Concorrência, que nunca descobriu qualquer problema na evidente cartelização de preços dos combustíveis, ou a Entidade Reguladora dos Serviço Energéticos, sempre com tanto receio de aborrecer a EDP, são outros. No caso da ERC, indignaram-se os social-democratas quando mandava o PS. Indignam-se os socialistas quando manda o PSD. Mas sabemos que nenhum deles está disposto, estando no poder, em desistir deste patético faz de conta.

A ERC acha que nada ficou provado sobre Relvas? E a quem interessa a opinião de cinco nomeados partidários sobre este assunto?

Ø

Opinião da comunicação social, dia 22 de Junho de 2012

Ø

A GOLDMAN SACHS E O PSD: AS ESTRANHAS LIGAÇÕES ENTRE ESTA EMPRESA E ESTE PARTIDO

Ø

Ø

Notícia da comunicação social, sobre pragas que assolam a Humanidade, dia 2 de Junho de 2012

Ø

O PSD , partido de pessoas que não são nadaØ habilidosas, não cria uma empresa para lá colocar um dos seus boys.

Ø

Notícia da comunicação social, dia 8 de Junho de 2012

O IGCP tem a seu cargo a emissão de divida pública, foi “transformado” e passou a ser uma empresa.

O salário do seu presidente foi aumentado.

Tudo medidas de gestão que tem em conta a austeridade…

O novo presidente é  alguém que esteve na na Goldman Sachs

Ø

João Moreira Rato vai ser o novo presidente do Instituto de Gestão da Tesouraria e do Crédito Público (IGCP), confirmou hoje à Lusa o Ministério das Finanças.
O IGCP é a agência do Estado que tem a seu cargo a emissão de dívida pública. A liderança da instituição estava vaga desde a saída de Alberto Soares, cujo mandato expirou em Março.

Moreira Rato trabalhava actualmente no banco de investimentos Morgan Stanley, tendo também passado pelo Lehman Brothers e pelo Goldman Sachs.

Antes das eleições de 2011, Moreira Rato pertenceu ao grupo de coordenadores do gabinete de estudos do PSD, que também integrava o actual ministro da Economia, Álvaro Santos Pereira, e a secretária de Estado do Tesouro, Maria Luís Albuquerque. O futuro presidente do IGCP é igualmente um dos sócios do fundo de investimentos Nau Capital, um hedge fund sediado em Londres.

Ø

Notícia absolutamente surpreendente da comunicação social, dia 18 de Abril de 2012

Ø

Eu não minto.

Eu não engano.

Eu não ludibrio.

A política de verdade é para mim uma convicção absoluta.

Vítor Gaspar, no parlamento, dia 9 de Maio de 2012

Ø

Notícia da comunicação social, dia 9 de Maio de 2012