DISSIDENTE-X

OS HIPERMERCADOS PORTUGUESES QUEREM VENDER PRODUTOS FORA DE PRAZO E COMO O GOVERNO DO PSD ODEIA OS PORTUGUESES PROVAVELMENTE ATÉ ACEITARÁ A SUGESTÃO..(O PSD e o CDS tem que ir embora)

Ø

Ø

Primeiro começou-se na Grécia, a fazer isto , com o “argumento” que é a “crise económica”…

(…)

Sindicatos com reservas em relação à lei

A lei proposta pelo governo de Antonis Samaras está a colher algumas críticas junto dos sindicatos e associações de consumidores gregos que acusam o governo de não querer “tomar iniciativas para controlarem os preços”.
 
Yannis Mijas, presidente do Organismo Nacional de Alimentos, teme que a lei conduza a um dilema moral da parte dos comerciantes, dividindo o setor entre aqueles que conseguem adquirir produtos dentro do prazo e os outros, que por razões económicas, terão de usar os alimentos “de qualidade duvidosa”.
 
Apesar das críticas, esta medida poderá ajudar muitas famílias gregas a comprar produtos mais baratos, evitando, deste modo, a aquisição mais cara de alimentos e produtos básicos que, devido à crise económica, sofreram um aumento exponencial.

Nota: sobre o facto de se comprar coisas fora de prazo e isso , REGRA GERAL, não fazer muito bem à saúde, nada se diz…

Ø

Notícia da comunicação social, sobre oportunistas gregos que aproveitaram a situação e começaram a vender manteiga rançosa e derivados,  dia 16 de Outubro de 2012

Ø

Ø

Já em Portugal, a associação portuguesa de empresas de distribuição, isto é, o grupinho que faz lobbi em favor dos interesses financeiros dos hipermercados, já decidiu oferecer-se para “encontrar soluções” que permitam vender merda fora de prazo, QUE NÃO CONSEGUIRAM IMPINGIR DENTRO DO PRAZO, AOS CONSUMIDORES,  desde que o governo  actual o permita, ou seja, que passe legislação corrupta que favoreça esta “solução”.

Arranje cólicas para as suas crianças ou outro tipo de doenças: (irá existir…) há uma lei que passou a permitir isso.

Ø

Apenas passaram 12 dias sobre a questão que dizia respeito aos oportunistas gregos e a Generosa APED já se manifestou:

mas acrescenta que “se o Governo entender flexibilizar a legislação, garantindo a segurança alimentar, o sector está disponível para encontrar soluções que ajudem o consumidor nesta conjuntura tão adversa”.

(…)

Ø

Notícia da comunicação social, CURIOSAMENTE, DE UM JORNAL QUE PERTENCE A UMA PESSOA QUE É DONA DE UMA CADEIA DE DISTRIBUIÇÃO ALIMENTAR E FAZ PARTE DA APED, dia 28 de Outubro de 2012

Written by dissidentex

28/10/2012 às 19:17

%d bloggers like this: