DISSIDENTE-X

Archive for the ‘GRÉCIA’ Category

CHRISTINE LAGARDE, DIRECTORA DO FMI: ” FAZ O QUE EU DIGO, NÃO FAÇAS O QUE EU FAÇO”

Ø

Christine Lagarde , a “Coisa” que dirige o FMI ofereceu uma entrevista ao The Guardian. Nela regurgita umas coisas acerca do pagamento de impostos, na Grécia.

O desprezo por esta forma de vida inferior deve atingir a intensidade de mil sóis; e deve ser praticado por todos os que não são psicopatas e sociopatas.

Ø

Decca Aitkenhead (jornalista do The Guardian): Quando analisa as contas gregas e exige medidas que sabe podem significar que as mulheres não terão acesso à assistência no parto, que os doentes deixam de poder aceder a medicamentos que lhes salvam a vida, e que os idosos vão morrer sozinhos por falta de cuidados – deixa de pensar em tudo isso e concentra-se nas contas?
Christine Lagarde (directora-geral do FMI): Não, penso sobretudo nas crianças da escola de uma pequena aldeia no Niger, que apenas têm duas horas de escola por dia e que partilham, cada três, uma cadeira, felizes por estar a aprender. Tenho-as no meu pensamento o tempo todo. Porque acho que elas precisam ainda mais do que as pessoas em Atenas. (…) Sabe que mais? No que diz respeito a Atenas, eu também penso naquelas pessoas que estão sempre a tentar fugir aos impostos.
DA: E pensa mais nesses do que naqueles que estão a lutar pela sua sobrevivência, sem emprego nem serviços públicos?
CL: Penso em todos por igual. E acho também que todos têm que se ajudar colectivamente. (…) Pagando os seus impostos. Sim.
DA: E os filhos deles, que não podem ser responsabilizados?
CL: Bem, os pais deles são responsáveis, certo? Por isso devem pagar os seus impostos.»

Ø

Declarações asquerosas, na comunicação social inglesa, da “Coisa”, dia 25 de Maio de 2012

Ø

No título:  “É tempo de ajustar as contas, não esperem simpatia”.

Ø

Declarações asquerosas da “Coisa”, comunicação social, dia 25 de Maio de 2012

Ø

A “Coisa” Lagarde, recebe 380 889 euros por ano e não tem de pagar impostos; mandou os gregos pagarem os seus.

A “Coisa” Lagarde, é uma das mulheres que melhor veste no mundo; não se preocupa muito com as crianças gregas (nem com o pagamento de impostos).

Ø

“Revelado pelo fundo monetário internacional que o salário anual de Christine Lagarde será de 380 889 euros. O seu estatuto de funcionária internacional permitirá à directora do fundo não estar sujeita a impostos sobre o rendimento.

Com um rendimento anual de de 323 257, ao qual acrescem as despesas de representação de 57 889 euros, Christine Lagarde a nova directora do FMI não pagará nenhum imposto graças ao seu estatuto fiscal especifico de funcionária internacional.

O estatuto de funcionário internacional com rendimentos isentos de pagamento de imposto  assenta no principio de não pagamento de impostos sobre rendimentos em organizações internacionais.”

Ø

Comunicação social mais técnica de origem francesa, dia 6 de Julho de 2011

Ø

Passos Coelho: “Tem-se diabolizado o FMI”

Pedro Passos Coelho, esta noite, em entrevista à SIC disse que a crise política se arrastava há muito tempo e que a queda do Governo era inevitável. Diz que estava pronto para apresentar uma moção de censura e ainda que se tem “diabolizado o FMI”

Ø

Notícia da comunicação social, relativa aos beijinhos na boca (French kissing) do segundo primeiro ministro, Pedro Passos Coelho, em relação ao FMI e Às declarações de profundo amor pelo FMI.

A EUROPA OFERECE 50 BILIÕES À GRÉCIA PARA ESTA SAIR DO EURO. QUE GENEROSIDADE…

Ø

Ø

A generosa oferta da Europa( Eurogrupo) é feita AQUI, citando a Reuters.

Portanto o problema não se resolve.

Apenas se atira para cima da Grécia 1/5 do dinheiro que esta deve para que se desenrasque sozinha.

Solidariedade europeia.

Written by dissidentex

24/05/2012 at 12:33

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA:AS DIFERENÇAS ENTRE PORTUGAL E A GRÉCIA

Ø

“Não aceito os insultos do Senhor Schaüble ao meu país”, afirmou Papoulias num discurso citado pela Bloomberg, que não teve como destino apenas o ministro das Finanças alemão.

“Não o aceito como grego. Quem é o Senhor Schaüble para ridicularizar a Grécia? Quem pensam que são os holandeses? Quem pensam que são os finlandeses? Temos o orgulho não só de defender a nossa liberdade, não apenas o nosso país, mas a liberdade de toda a Europa”, acrescentou.

Papoulias, com 82 anos, que combateu o regime Nazi durante a II Guerra Mundial, abdicou hoje do seu salário anual de 300 mil euros, num gesto de “solidariedade” com o povo grego, que está a ser alvo de “tantos sacrifícios”.

Ø

Notícia da comunicação social, dia 15 de Fevereiro de 2012

Ø

 * Cavaco: reformas «não chegam para as minhas despesas»

O Presidente da República disse esta sexta-feira que a reforma de 1.300 euros que recebe da Caixa Geral de Aposentações (CGA), mesmo somada à que vai receber do Banco de Portugal (BdP), não chega para as suas despesas.

Ø

** O presidente da República cancelou a visita à Escola Secundária Artística António Arroio, em Lisboa, por alegada falta de segurança no local, marcado por um protesto dos estudantes. Fonte da presidência diz que cancelamento se deveu a “um impedimento”

Ø

* Notícia da comunicação social, sobre assuntos de mercearia, dia 20 de Janeiro de 2012

** Notícia da comunicação social,relatando o acto de bravura retirada estratégica do Presidente da República, dia 16 de Fevereiro de 2012

Karoulos Papoulias – Wikipedia

Também há diferenças entre Portugal e a Alemanha

VÍTOR GASPAR, WOLFGANG SCHAUBLE, ALEMANHA DISPONÍVEL PARA FLEXIBILIZAR A AJUDA A PORTUGAL E A GENUFLEXÂO

Ø

Filme indiscreto de 53 segundos relatando uma conversa genuflexatória, aparentemente parecida com uma negociação… séria  ou coisa que o  valha…

Ø

Ø

Youtube e comunicação social, dia 9 de Fevereiro de 2012

Dialogo:

Se no final precisarmos de fazer um ajustamento ao programa (português) depois de tomadas as grandes decisões sobre a Grécia…isso é essencial, mas depois se for necessário um ajustamento do programa português nós estaremos preparados

Agradecemos muito.

De nada.

O problema é que os membros do parlamento alemão e a opinião pública na Alemanha, não acreditam que as nossas decisões são sérias, porque não acreditam nas nossas decisões sobre a Grécia.

Mas fizemos progressos substanciais no quadro europeu

Sim vocês fizeram progressos.

Sim fizemos.E agora precisamos de trabalhar…hoje.

Ø

(…) Numa conversa indiscreta entre os ministros alemão e português das Finanças, captada pela TVI, Wolfgang Schauble diz: “Se no final precisarmos de fazer um ajustamento do programa português, nós estaremos preparados”. Vítor Gaspar responde: “Agradecemos muito”. Gaspar diz que entendeu aquelas palavras como a confirmação de que se um país cumprir as metas mas não puder regressar aos mercados no prazo previsto, então a troika continuará a financiar esse país. Mas a ser assim, Gaspar deveria ter respondido: “eu sei, muito obrigado”. E se fosse a oferta de mais tempo e dinheiro, deveria ter respondido: “Obrigado, mas não precisamos”. Como disse “agradecemos muito”, o que se depreende é que Gaspar e o primeiro-ministro sabem que vão ter de suavizar metas e condições, mas atuam como se não fosse assim. A questão é que agora eles sabem que nós sabemos que eles sabem.

Ø

Nicolau Santos, Jornal expresso dia 11 de Fevereiro de 2012

Ø

GRÉCIA, UM ANO APÓS O EMPRÉSTIMO DO FMI – OU O CAOS VINDO DO FMI E DA EUROPA

Quadro em baixo com a lista dos maiores credores da Grécia.

Dívida grega: 340 biliões de euros

Ø

O recente pacote financeiro grego ainda não foi aprovado. Faltam despachar para a Grécia 12 biliôes de euros.

Desde que o governo grego aplique ainda mais medidas de austeridade.

Sondagens dão rejeições do acordo de 80%.

Paul Mason da BBC mostra como o desacordo na sociedade grega e a completa distancia entre as elites europeias/ o governo grego e a população grega está ao rubro.

O Estado Grego começa a perder a sua capacidade para desempenhar as suas funções e para ter controlo político sobre os seus agentes.

Ø

There is a social crisis under way and I think it is different from the one our history books teach us to expect. It’s not like the cracking of the state, or mass unrest, but simply that the Greek state – whose reach was never far into society – is beginning to lose its grip slightly on the actual functions a state should do.

It cannot decide its economic policy; it can’t convince its own people of any good intent; the rule of law is imposed hard here – with the impounding of yachts bought through tax evasion – only to break down somewhere else, as people begin to pledge non-payment of bills for the privatised utilities… the violence is a sideshow: it is the political paralysis of the Greek government that is of world importance because – while the European Union bickers about how much bankers should lose versus how much the EU should lose as Greece defaults – you are seeing the lines of defence against financial and social chaos within this part of Europe getting very frayed…

I think the level of mismatch between perception and reality within the Eurozone is worrying. Because last year’s protests were mainly leftist; and the strikes mainly token, a pattern of thinking has emerged that dismisses all Greek protest as essentially this.

But a new situation is emerging: Greek people I have spoken to are beginning to express things in terms of nation and sovereignty – and this makes the Greek situation different, for now, to Ireland and Portugal.

Ø

Os gregos estão também a voltar-se – legitimamente – contra a comunicação social mainstream. Como Paul Mason explica.

Ø

And I will repeat the point about hostility to the media: it’s not a problem for me and my colleagues to be hounded off demos as “representatives of big capital”, “Zionists”, “scum and police informers” etc. But to get this reaction from almost every demographic – from balaclava kids to pensioners – should be a warning sign to the policymaking elite. The “mainstream” – whether it’s the media, politicians or business people – is beginning to seem illegitimate to large numbers of people.

As one old bloke put it to me, when I said: “Don’t you want us to report what’s happening to you?” – “No.”

He was quite calm and rational as he waved his hand in my face: “It’s too late for that.”

FMI, INTERVENÇÂO EXTERNA NA GRÉCIA – COMO SE FAZ UMA TRAPAÇA

leave a comment »

Alemanha quer mais privatizações e ajustes fiscais na Grécia

Segundo ministro alemão, conclusão da perícia do programa de resgate financeiro ao país é um bom sinal, mas conclusões do relatório serão conhecidas apenas na próxima semana

Notícias da comunicação social, dia 3 de Junho de 2011.

A Deutsche Telekom disse que a Grécia venderá mais 10% das ações que possui da Hellenic Telecom (OTE) para a companhia alemã por cerca de € 400 milhões. Após a transação, a Deutsche Telekom deterá 40% mais uma ação dos direitos de votos da OTE, enquanto o governo grego possuirá somente 10% mais um voto.

Notícias da comunicação social, dia de 7 de Junho de 2011.

Ø

Primeiro incentiva-se a venda de activos, depois quem incentiva a venda, aparece para comprar, a preço mais baixo.

Isto é tudo muito sério…

GRÉCIA. UM JORNALISTA FOI ASSASSINADO À PORTA DE CASA NO DIA 19 DE JULHO DE 2010 COM 10 BALAS

leave a comment »

No dia 19 de Julho de 2010, na Grécia, em Atenas, na sua casa, o jornalista grego Socratis Giolias,37 anos,  foi assassinado.

Foi assassinado em frente à sua casa, por um grupo de 3 pessoas que dispararam10 vezes.

Socratis Giolias era director de informação da rádio grega chamada “Thema 88,9”. Além disso mantinha um blog, chamado “Troktiko”, muito popular junto da população grega, por revelar inúmeros escândalos económicos relacionados com as  mais variadas figuras gregas.

Socratis era um muito bom jornalista de investigação, que com as suas reportagens; tinha incomodado bastante gente com os seus dossiers sobre figuras publicas. Especialmente relacionados com “escândalos económicos”.

Compare-se com o que se vê em Portugal, com a generalidade da classe a babar-se para cima de onde sente ou sonha existir poder….

Ø

Na livre imprensa portuguesa apenas se consegue descortinar  uma notícia pequena, minúscula e microscópica apresentada e   copiada  do despacho que a agência noticiosa “Reuters faz deste mesmo assunto.

A “livre” imprensa portuguesa consegue deixar passar em claro um assunto deste tipo.

A “livre” imprensa portuguesa não noticia jornalistas que são assassinados na Grécia, por desvendarem escândalos económicos, até porque os donos da livre imprensa portuguesa são empresas…

podemos ter problemas de contágio com a Grécia….

e nós não queremos isso, pois não?

Ø

A polícia grega e o “regime” grego já declararam que os suspeitos principais e exclusivos, são um grupo de extrema esquerda que colocou uma bomba numa estação de televisão em 2008.

Tudo decorre segundo o plano quinquenal.

O grupo em questão não se ufana de ter sido o praticante do acto.

Pelo contrário, mantém o silêncio não reivindicando a autoria do atentado contra a vida de Socratis Giolias.

Tendo em conta que é um grupo que se afirma ser contra o capitalismo e contra os grandes grupos económicos gregos é estranho que  (se considere que…) assassine um jornalista que fazia investigação sobre escândalos económicos e a divulgava ao público grego.

Tudo decorre segundo o plano quinquenal. Até os assassinatos…