DISSIDENTE-X

Archive for the ‘MINISTRO DA SAÚDE’ Category

IDOSA FERIDA EM ASSALTO ESCONDEU AGRESSÃO PARA NÃO PAGAR 108 EUROS NO HOSPITAL OU COMO O PSD ODEIA OS PORTUGUESES ( O CDS e o PSD tem que ir embora)

Ø

Ø

Jorge Santos, filho de uma idosa que foi agredida durante um assalto no dia 12, em Vila Franca de Xira, contou à Lusa que, quando chegou ao hospital para inscrever a mãe, um funcionário lhe disse: “E agora vai ser novamente roubada”.

A expressão antecedeu o esclarecimento de que tinha de pagar 108 euros por este valor não ser pago pelo Serviço Nacional de Saúde (SNS), tal como acontece nos casos de acidentes de trabalho e de viação, os quais são cobertos pelas seguradoras.

“Nem queria acreditar. São coisas como estas que me envergonham deste país. A minha mãe estava cheia de dores, com hematomas na cara e na cabeça e estava envergonhada, pois parecia que tinha de pagar por ter sido assaltada”, desabafou.

Questionou os funcionários sobre o valor que a mãe pagaria se tivesse caído na rua, ao que lhe terão respondido que, nesse caso, apenas pagaria a taxa (17,5 euros).

“A partir desse momento, disse que a minha mãe caiu e paguei apenas a taxa, mas a situação levou a que ela, com 74 anos, tivesse de mentir ao médico, estando sempre muito envergonhada durante o atendimento clínico”, adiantou.

Uma utente que ligou posteriormente para o hospital a questionar sobre o valor a pagar em casos destes obteve a mesma resposta: além da taxa, tinha que pagar os 108 euros, ainda que posteriormente, se não tivesse o dinheiro na altura.

Questionada pela Lusa, a administração do Hospital de Vila Franca de Xira esclareceu que, em caso de agressão, os utentes “não têm que assegurar o pagamento do valor do episódio de urgência, bastando apenas para isso que apresentem cópia da queixa que fizeram à polícia”.

“A terem ocorrido erros na cobrança, ou nas informações prestadas, eles dever-se-ão a lapsos na transmissão interna da informação, que vamos averiguar e rectificar”, garantiu.

Também uma utente do Hospital de Cascais soube por funcionários que o marido, vítima de assalto, podia ter de pagar os 108 euros, caso o agressor não fosse identificado no decorrer do processo que resultasse da queixa apresentada na polícia.

(…)

A Entidade Reguladora da Saúde também se recusou a comentar o caso, remetendo para uma circular que indica: “Quando a prestação de cuidados de saúde resulta em encargos ou despesas pelas quais as instituições hospitalares têm direito a ser ressarcidos e, mais ainda, exista um terceiro legal ou contratualmente responsável, é sobre este que recai a responsabilidade de proceder ao seu pagamento”.

“No caso de inexistência de um terceiro responsável, não existe qualquer obrigação legal de pagamento de cuidados de saúde sobre o assistido [utente], beneficiário do SNS”, adianta.

Ø

Notícia da comunicação social, acerca de legislação que favorece o gangsterismo, relativa à legalização do crime violento e da criminalização das suas vítimas, dia 27 de Outubro de 2012

FECHO DE MATERNIDADES PELO PSD E PELO MINISTRO PAULO MACEDO

Ø

Maternidades com menos de 1500 partos por ano vão fechar

Ministro da Saúde admitiu o encerramento e a fusão das maternidades que registam menos de 1500 partos por ano.

(…)

“As maternidades que tiverem menos de 1500 partos por ano, de acordo com os indicadores da organização Mundial de Saúde, não deveriam estar a funcionar”, sublinhou Paulo Macedo.

Ø

Notícia da comunicação social, feita pelo próprio, dia 9 de Novembro de 2011.

Ø

Nota:  a espantosa demagogia do senhor que é ministro da saúde quando invoca a OMS para justificar o fecho com o número mágico 1500.

Nota: porque não faz o mesmo em relação ao rácio “médicos por cada mil habitantes” que é um rácio que a OMS também define e que em Portugal é claramente não cumprido?

Nota: a OMS serve para justificar alguns problemas, para outros problemas já não serve.

Ø

Grávidas da Guarda mostraram-se esta quarta-feira preocupadas com a possibilidade de a maternidade local, que funciona no Hospital Sousa Martins (HSM), poder encerrar por ter menos de 1.500 partos por ano, noticia a agência Lusa.

Algumas grávidas que estão a ser acompanhadas no serviço de obstetrícia do HSM disseram esta quarta-feira à agência Lusa que encaram esse cenário com «preocupação» e «com muita apreensão».

Ø

Notícia da comunicação social, dia 9 de Novembro de 2011.

Ø

O caixeiro viajante do ministro precede-o. Como um mercador das más notícias apresentadas antes da chegada do amo.

Ø

Ø

Imagem: Jornal Público de 8 de Novembro de 2011

Ø

1

Vamos fechar no público” porque é muito caro e a OMS não gosta”

2

Após fechar no Público, vamos abrir caminho a privados.

3

Sobre o actual estado dos privados e a sua eventual incapacidade para cumprir as regras bem como ao facto de o numero de cesarianas ser neles elevado, nada se diz.

4

As maternidades irão afinal fechar por razoes de qualidade ou por razoes financeiras?

5

As maternidades privadas que façam cesarianas sem qualidade continuam em funcionamento?

6

Continuam em funcionamento mesmo excedendo largamente os 20% recomendados?

7

Quem não estiver perto de uma maternidade, que se arranje. Se existirem complicaçôes para a criança ou a mâe o problema é deles.

E esta a nova filosofia do senhor ministro da saúde.

Esta é a nova (velha)  filosofia do PSD.

Ø