DISSIDENTE-X

Archive for the ‘CONDICIONAMENTO DA VIDA EM SOCIEDADE’ Category

PORTUGAL ESTÁ EM GUERRA (O CDS e o PSD tem que ir embora)

Ø

PEDRO PASSOS COELHO - GOVERNO DE PORTUGAL EM GUERRA COM OS PORTUGUESES

Ø

O nosso país vive actualmente um processo de destruição sem precedentes. O período que estamos a atravessar já é um dos piores da nossa história em matéria de destruição de empresas, de emprego mas também de vidas. A recessão agrava-se, o desemprego atinge recordes, o défice orçamental fura todas as metas, a dívida pública aumenta mas a estratégia para o ajustamento e para sair da crise continua sem alterações. Entre a estratégia de dominação económica alemã, o fanatismo autista do ministro das Finanças e a incapacidade para liderar e defender o país do primeiro-ministro, os portugueses vão assistindo à destruição de Portugal. Querem que acreditemos que não temos alternativa e que, portanto, teremos de continuar a sujeitarmo-nos aos interesses dos credores externos. Será, no entanto, a política que nos destrói a economia em nome dos interesses dos credores, a principal causa da incapacidade de o nosso país vir a pagar a totalidade do que deve. Sim, estamos em guerra. As armas são diferentes das usadas nas guerras tradicionais mas não deixam de ser devastadoras. As armas usadas contra nós são a austeridade, o programa de ajustamento que a consagra, os juros que os nossos credores nos cobram e a ameaça de isolamento com que nos chantageiam. Enquanto os líderes nacionais não perceberem que têm de fazer política continuaremos a assistir à destruição do nosso país. Sim, também temos as nossas armas. A principal arma de um devedor é a própria dívida e, em nenhum momento, deve sair de cima da mesa das negociações. Não é no entanto a única. Uma verdadeira negociação entre estados, para ter sucesso, não pode ficar confinada a quatro paredes. Portugal deve fazer pressão pública, promover ativamente alianças com outros países, aproveitar a energia dos protestos dos portugueses como instrumento de pressão negocial e, em última análise, rejeitar mesmo a aceitação de condições de ajustamento suicidas.

Ao primeiro-ministro e ao ministro das Finanças exige-se que façam política; ou sabem interpretar e estar à altura do momento histórico que vivemos ou é melhor deixarem que sejam outros a escrever a história.  

Ø

Artigo de opinião, comunicação social, dia 20 de Março de 2013

Ø

VITOR GASPAR - O GOVERNO DE PORTUGAL EM GUERRA COM OS PORTUGUESES

Anúncios

VÍTOR GASPAR – A INCOMPETÊNCIA ELEVADA AO QUADRADO, AO CUBO, AO LOSANGO, AO TRIÂNGULO ISOSCELES E DEMAIS FORMAS GEOMÉTRICAS QUE EXISTAM (O CDS e o PSD tem que ir embora)

Ø

PEDRO PASSOS COELHO - QUEDA DO GOVERNO EM 2013

Ø

vitor gaspar - os numeros negros de 2014

Com o fim da sétima avaliação do programa de ajustamento, o Governo já acertou as previsões macroeconómicas para os próximos anos. Crescimento do PIB, défice, dívida, exportações e desemprego. Conheça as previsões do Governo:  

Para a economia, o Governo previa -1% em 2013 mas espera agora -2,3%, por outro lado, o desemprego irá disparar para 18,2% – o que traduz um forte agravamento face aos 16% inicialmente esperados -, sendo que ainda subirá para 18,5% em 2014. Diz Gaspar que “a evolução inter-anual será muito marcada. 

O desemprego poderá atingir um valor de quase 19 %, começando a diminuir só em 2014″.   Já a dívida pública atingirá o pico em 2014, ascendendo então a 124% do PIB, valor que o ministro das Finanças justifica como sendo resultado da “nova trajectória orçamental”.   

Com o veto da Euostat à utilização das receitas de concessão da ANA – Aeroportos para redução do défice, o desequílibrio entre receitas e despesa de 2012 será de 6,6% – o que traduz uma derrapagem de 1,6 pontos percentuais face ao que estava previsto. Para éste e´os próximos anos, as metdas do défice também foram revistas. 

 O novo calendário e metas de défice apontam agora para um desequilíbrio de 5,5% em 2013; 4% em 2014 e 2,5% em 2015. Apesar das novas metas, Vitor Gaspar precisou que não está em causa mais tempo nem mais dinheiro. “O programa terminará em junho de 2014. Trata-se sim de alargar o prazo de forma a atingir  um défice orçamental inferior a 3% já em 2015”. 

Mas os números de Gaspar não ficam por aqui, e também as exportações sofreram uma “revisão em baixa face ao cenário estabilizado no final do quinto exame”. Assim, o Governo antecipa, um crescimento de 4% em 2012; e um abrandamento enorme para 2013, com as exportações a crescerem apenas 1,8% (antes previa 1,9%). 

Em 2014, Gaspar antecipa um crescimento de 0,6% das exportações liquidas; para 2013 preveem-se 1,8%  e em 2012 o valor situou-se nos 4,4%. De qualquer forma, este ano o Governo ainda prevê um ligeiro aumento no último trimestre do ano. O mesmo vai acontecer com a procura interna, que terá somado perdas de 7% em 2012 e 4,1% em 2013.

Em 2014, a procura interna irá ficar em 0%. Anteriormente, o Governo previa que em 2014 a procura interna já estivesse positiva, em 0,3%.

Ø

Notícia da comunicação social sobre o mirabolante, fantástico, excelente, estratosférico, gongórico etc e tal, Vítor Gaspar que não acerta uma previsão nem um número seja do que for, (mesmo depois de já ter acontecido) dia 15 de março de 2013,  ou seja é completamente incompetente e dogmático

Ø

vitor-gaspar- NAO SEI

O PARLAMENTO EUROPEU A ATACAR A LIBERDADE DE EXPRESSÃO UTILIZANDO A PORNOGRAFIA COMO ARMA DE ARREMESSO

Ø

1

“Fui um funcionário público na Comunidade Europeia e conheço a máquina por dentro. É uma espécie de novo soviete. Os seguidores da Escola de Chicago são cheios de contradições, querem fomentar a livre concorrência como funcionários públicos”
Michel Godet, especialista em prospectiva

Ø

2

PARLAMENTO EUROPEU - PORNOGRAFIA - LIBERDADE DE EXPRESSAO.JPG

Notícia da comunicação social, sobre a pornografia do Parlamento europeu, dia 8 de março de 2013

Ø

3

Antes dizia-se:

Defesa da moral, dos valores da família e dos bons costumes.

Actualmente diz-se:

“eliminar estereótipos, igualdade de género, condição femininina, exploração da mulher

Ø

4

“Ladies and gentlemen of the jury, you’ve heard a lot here today and I won’t try to go back over it all. But you have to go back in that room and make some decisions and there is one thing I want to make very clear to you before you do. I’m not trying to convince you that you should like what Larry Flynt does. I don’t like what he does. But what I do like is… that I live in a country… where you and I can make that decision for ourselves. I like that I live in a country where I can pick up Hustler magazine… read it if I want… or throw it in the trash, if that’s where I think it belongs. Or better yet I can express my opinion by not buying it. I like that right. I care about it. And you should care about it, too… because we live in a free country. We say that a lot, but sometimes we forget what that means, so listen again. We live in a free country. That is a powerful idea. That’s a magnificent way to live. But there is a price for that freedom, which is that sometimes… we have to tolerate things that we don’t necessarily like. So go back in that room… where you are free to think whatever you want to think… about Larry Flynt and Hustler magazine. But then ask yourselves if you want to make that decision for the rest of us… because the freedom that everyone in this room enjoys… is, in a very real way, in your hands. If we start throwing up walls against what some of us think is obscene… we may wake up one morning and realize… that walls have been thrown upin places we never expected… and we can’t see anythingor… do anything. And that’s not freedom. That is not freedom. So, be careful. Thank you.”

Ø

5

De boas intenções está o Inferno cheio.

E o que está verdadeiramente em causa é o conteudo do discurso acima.

(NÃO ) CRESCIMENTO ECONÓMICO EM 2013 (O CDS e o PSD tem que ir embora)

Ø

PASSOS COELHO E O PROGRAMA DE MENTIRAS NOVAS

Ø

crescimento economico - previsao 2013

Fonte: The economist, uma revista progressista marxista… dia 3 de Janeiro de 2013

PROGRAMA PRÓS E CONTRAS DE DOMINGO, DIA 20 DE JANEIRO 2013 – UM VERDADEIRO ASCO NEOLIBERAL (O CDS e o PSD tem que ir embora)

Ø

PEDRO PASSOS COELHO - OS PORTUGUESES ODEIAM-NOS E NOS ODIAMOS OS PORTUGUESES

Ø

Neste programa participou um licenciado em medicina, ao que percebi, que explicou quase no fim do programa, que ao cidadao portugues «nem tudo o que ele quer se pode dar».

Isto dado como exemplo, à propósito da Saude.

Isto após se ter dito como exemplo para condicionar as pessoas, um numero astronómico; “um transplante hepático custa 110 mil euros”. (um transplante de figado, por exemplo…)

Como custa isso e não se pode dar isso às pessoas a soluçao é óbvia.

Quem tem dinheiro paga, quem nao tem, morre.

É esta a soluçao dos ” especialistas”.

A eutanásia social.

Ø

Tambem podemos usar a violência e fazer eutánásia aos especialiastas…

É outra hipotese a considerar.

Written by dissidentex

20/01/2013 at 20:24

PORTUGAL, UM PAÍS CORRUPTO E MAIS AINDA DESDE QUE O PSD E O CDS CHEGARAM AO GOVERNO (O CDS e o PSD tem que ir embora)

Ø

PEDRO PASSOS COELHO - O PSD E O CDS TEM QUE IR EMBORA

Ø

CORRUPCAO EM PORTUGAL 1

Ø

Notícia da comunicação social, que ainda tem autorização para revelar podres, dia 5 de Dezembro de 2012.

Ø

CORRUPCAO EM PORTUGAL 2

Ø

Notícia da comunicação social, que ainda tem autorização para revelar podres, dia 5 de Dezembro de 2012.

Ø

PEDRO PASSOS COELHO - CORRUPCAO E O COMBATE PARA O ANO

Written by dissidentex

06/12/2012 at 19:49

A POBRE POLÍCIA PORTUGUESA, COITADA…( O CDS e o PSD tem que ir embora)

Ø

Ø

A carga da polícia de choque que se seguiu à manifestação do dia da greve geral teve o condão de provocar um estranho unanimismo na opinião pública, partidária, etc. Avaliar a violência da polícia de choque ocupou nesse dia um lugar secundaríssimo – afinal, os polícias que faziam a segurança do parlamento estiveram sujeitos a uma martirização provocada por “meia dúzia de profissionais da desordem”, para usar a expressão do ministro da Administração Interna Miguel Macedo. E, feito inédito, essa circunstância transformou uma carga policial num feito de elogio unânime dos partidos do governo ao PS – ou de silêncio do quem cala consente do PCP e do Bloco de Esquerda. Como se uma interrogação sobre a proporção da intervenção policial pudesse ser automaticamente confundida com o apoio aos hooligans que atiraram pedras à polícia, o silêncio entupiu muitos daqueles a quem a actuação das forças da ordem – varrendo tudo à sua volta e detendo indiscriminadamente cidadãos pacíficos de São Bento até ao Cais do Sodré – perturbou profundamente.

Afinal, como é que a polícia não consegue neutralizar a “meia dúzia de profissionais da desordem” e parte para uma intervenção violenta em larga escala? Aqui ao lado, a jornalista Rosa Ramos explica que prevaleceu na polícia a teoria de que detenções cirúrgicas nas manifestações são excessivamente arriscadas e podem potenciar a violência. Uma fonte policial admite ao i que foi avaliado o risco de, “com detenções isoladas” se vir a “gerar uma situação de enorme instabilidade” – admitindo a polícia que os restantes manifestantes poderiam solidarizar-se com os “profissionais da desordem” – e que o desfecho final poderia ser uma carga policial “ainda pior”.

Numa manifestação maioritariamente pacífica, como até agora têm sido as manifestações, este risco foi sobreavaliado.

A edição do “Correio da Manhã” de ontem dava conta de um mal-estar instalado dentro da polícia pela demora em actuar. À pergunta sobre a demora em actuar ainda não houve uma resposta cabal. Não há uma única razão de segurança aceitável para manter a polícia e o parlamento sujeitos à martirização transmitida em directo. Mas pode haver razões políticas: o argumento da martirização conseguiu transformar uma carga policial num acto aceitável para a maioria dos portugueses; e em imediata sequência transformou as manifs em territórios de risco. Se isto interessa a alguém, não é seguramente ao Menino Jesus.

Ø

Artigo de opinião, dia 19 de Novembro de 2012,sobre os pobres polícias portugueses que estão traumatizados, por terem feito uma carga policial pouco excessiva, na opinião dos próprios…

Ø

Ø

Notícia da comunicação social, sobre um aumento de ordenado ” CONHECIDO” 5 dias antes da carga policial que deixou os nossos bravos agentes incentivados e aditivados,  deprimidos…e psicologicamente atormentados por não terem sido usados convenientemente na refrega em questão – a pátria estava em perigo , há que acudir… dia 14 de Novembro de 2012