DISSIDENTE-X

Archive for the ‘VITÓRIAS MORAIS’ Category

SELECÇÃO PORTUGUESA DE FUTEBOL – OS CAMPEÕES MUNDIAIS (EM TÍTULO) DAS VITÓRIAS MORAIS

Ø

Ø

A selecção dos tachos, dos “amigos”, dos dirigentes lapas e parasitas, que viajam à borla (à conta do erário público), a selecção das tretas retóricas que passa a vida a contar choradinhos e orientada pelos desígnios dos patrocinadores, do Presidente de um clube, e pelo empresário que controla metade da equipa, a selecção do ego egocêntrico matacão que dentro de campo raramente justifica PERDEU.

A SELECÇÃO DO CULTO DE PERSONALIDADE PERDEU E AINDA BEM QUE PERDEU.

AINDA BEM QUE ESTA SELECÇÃO PERDEU.

VÃO ENGANAR OUTROS COM TÁCTICAS PARA JOGAR PARA OS PENALTIES…

Ø

A selecção de alguns dos jogadores que foram a este campeonato, e que lutaram dentro de campo como se deve lutar, para ganharem dentro de campo, merecem ser elogiados. Só esses.

ESSA SELECÇÃO MERECE RESPEITO.

MAS ESSE É O CONCEITO DE SELECÇÃO QUE ESTÁ EM MINORIA…ESSE É O VERDADEIRO CONCEITO DO QUE DEVE SER UMA SELECÇÃO NACIONAL, MAS QUE NÃO É APLICADO E NUNCA FOI.

Ø

Agora já começou o discurso dos “somos pequeninos” mas “somos grandes”, agora já começou o discurso do “jogámos contra a Espanha que é campeã do mundo”, agora já começou o discurso de ” caímos com dignidade e fizemos um campeonato da Europa que é extraordinário”.

Agora os dirigentes e demais parasitas não aparecem a arrotar tretas.

Agora já começou o discurso da falta de sorte, do miserabilismo retórico, do Salazarismo pós moderno (os valores do pobre mas honrado que foi derrotado por adamastores…) como forma de desculpabilização.

O conformismo ridículo.

Nos últimos 20 anos tem sido essa a nota de uma selecção que nunca se prepara para ganhar coisa alguma, apenas se prepara para dar a ilusão que irá ganhar alguma coisa. (e assim continuar a servir propósitos e interesses particulares e a servir para enganar a população…)

Posers é a expressão inglesa que os caracteriza.

Agora a classe sabuja – jornalística que os adora, os bajula, os endeusa,  está triste; o tacho e as viagens para sítios semi exóticos terminam.

Agora a convivência com os “craques” e a oportunidade de lhes dar mais graxa e ser mais sabujo termina…

Ø

Esta é a “selecção” (e o país) que é perfeitamente exemplificada na imagem abaixo.

“O SÍMBOLO DA COISA”

O SÍTIO DOS DESENHOS

Ø

Declaração de interesses: o autor deste blog até gosta de futebol, mas já deu para o peditório chamado “selecção nacional”.

Written by dissidentex

27/06/2012 at 18:16

SELECÇÃO NACIONAL DE PORTUGAL – COM IMENSA FEROCIDADE DÁ NOS CORNOS DA ALEMANHA

Os aleijados emocionais a necessitar de carinho, também conhecidos como selecção Nike nacional Bes Pinto da Costa de Portugal  Jorge Mendes destruíram no sábado, dia 9 de Junho de 2012, a selecção Merkel, impondo à Alemanha uma vitória desta sobre Portugal por 1-0.

O trauma causado nos alemães por mais esta vitória moral portuguesa foi indescritível.

Cenas de júbilo imenso e alegria verificaram-se em todas as ruas da Alemanha e em todos os sítios onde existiam alemães a ver o jogo

*

Uma dos maiores traumatizados por esta vitória moral de Portugal é Mário Gomez,  o avançado alemão que, pelo facto de só ter marcado uma vez, na única oportunidade que teve para o fazer, ficou de rastos.

Gomez terá concerteza que ir ao psicólogo para recuperar…

Quanto aos comentadores, analistas, experts, especialistas, lambe botas , parasitas que circulam à volta da selecção, cretinos, e demais criaturas que juram a todos os deuses que a preparação desta equipa é a correcta e foi bem feita aguardam-se explicações mais concretas que não  passem pelo:

“foi falta de sorte”

“Merecíamos ter ganho” ,

“foi azar,

“Jogamos bem mas tivemos azar”

“Jogámos bem mas falhámos na finalização”

“Somos uma das melhores equipas do mundo”

e outro tipo de coisas do mesmo estilo.

* Como se pode ver por esta capa ridícula do Jornal ” O trambolho” A bola do dia 9 de Junho de 2012.

Written by dissidentex

10/06/2012 at 15:02

PORTUGAL: NÓS NÃO SOMOS A GRÉCIA, NÓS CHEIRAMOS A PERFUME…

Ø

Grécia: economia afunda, entra em deflação e desemprego sobe

A economia grega terá uma recessão mais acentuada do que o previsto este ano, será a única da zona euro a entrar em deflação e o desemprego continuará a aumentar, segundo as previsões da Comissão Europeia.

As previsões de primavera divulgadas hoje em Bruxelas antecipam também que o PIB recuará 4,7 por cento este ano – mais do que os 4,3 por cento previstos no último boletim intercalar – mas, ainda assim, abaixo do recuo de 6,9 por cento do ano passado.

As contas públicas continuarão complicadas, com o défice a atingir 7,3 por cento do PIB (foi de 9,1 por cento no ano passado), voltando a aumentar para 8,4 em 2013.

A dívida pública deverá cair este ano, dos 165,3 por cento do PIB de 2011 para 160,6 por cento, mas voltará a subir para 168 por cento em 2013.

A Comissão prevê uma situação de deflação com o índice que mede a evolução dos preços a recuar 0,5 por cento este ano e 0,3 por cento em 2013.

Em termos de evolução da conta corrente, Bruxelas prevê que saldo da balança de transações correntes passe a ser de -7,8 por cento do PIB em 2012, melhor do que os -11,3 por cento do ano passado.

Ø

Notícia da comunicação social, divulgando dados do desastre da economia grega, após ter sido ajudada com um plano de austeridade e um empréstimo da troika , dia11 de maio de 2012.

Ø

Ø

Economia portuguesa contrai 3,3% e desemprego dispara para 15,5%

A Comissão Europeia prevê que a economia portuguesa vai contrair este ano 3,3%, um valor mais pessimista do que o crescimento negativo de 3% esperado pelo governo.

Ø

Notícia da comunicação social, sobre a magnifica recuperação económica portuguesa que se aproxima da grega, a passos largos,após ter sido ajudada com um plano de austeridade e um empréstimo da troika dia 11 de maio de 2012

Agora até resultados falsificados (a descida real é muito maior) e além disso fortemente negativos são comemorados como sendo vitórias…

Mas isto é o PSD:  a mediocridade e a incompetência só são superadas pela estupidez e pela maldade.

O PSD COMO PARTIDO QUE INCENTIVA A TRAIÇÂO FEITA A PORTUGAL COMO FORMA DE VIDA

Ø

Primeiro o PSD forçou sistematicamente durante anos, para que uma qualquer crise  que ocorresse permitisse que o FMI fosse chamado a “ajudar a corrigir” os problemas que essa crise traria.

Para justificar tal acto, convenientemente colocou-se as culpas no anterior primeiro ministro que passou a ser culpado de tudo, quer o que tinha culpa quer o que não tinha culpa.

Ao ajudar a chamar o FMI, o PSD sabia perfeitamente que a soberania portuguesa enquanto país, seria limitada.

Mas com os traidores é assim – apenas defendem os interesses de quem lhes paga – em valores ou dinheiro, no estrangeiro.

Temos pois que:

Memorando de entendimento com a troika equivale a perda de soberania.

Ø

Não contentes por terem sido traidores a uma dimensão, o PSD decidiu ser traidor numa outra dimensão: o Estado.

Como tal decidiu assumir perante a troika e a esame (entidade que vigia o cumprimento do memorando ) que a falência técnico administrativa do estado acontece.

Os traidores são assim:  capitulam e colaboram.

Mais: fazem-no com satisfação.

Um traidor satisfeito é um funcionário cumpridor.

Temos pois que:

“Grupo de apoio a Portugal” equivale  assumir a falência técnica administrativa do Estado.

Ø

No dia 7 de Outubro de 2011, saiu um comunicado triunfante, arrotando satisfação por todos os poros que tinha sido criada uma entidade ( composta por 5 tachos bem pagos presume-se…) para:

Ø

“Sob proposta e em concertação com o Governo português, a Comissão Europeia estabeleceu uma estrutura de acompanhamento do programa de assistência económica e financeira a Portugal com vista a agilizar a utilização dos fundos comunitários em prol dos objetivos daquele programa”, refere o comunicado do executivo PSD/CDS.

Esta “estrutura flexível, de pequena dimensão e de assessoria técnica” será composta “por um núcleo de coordenação sediado em Bruxelas, uma equipa avançada de cinco funcionários que trabalhará regularmente em Bruxelas junto do gabinete do ministro de Estado e das Finanças e da ESAME, estrutura de acompanhamento dos memorandos, sob tutela do secretário de Estado Adjunto do primeiro-ministro, e uma rede de correspondentes nos relevantes serviços da Comissão”.

Ø

Notícia da comunicação social, dia 7 de Outubro de 2011

Ø

Basicamente, para além da traição que isto significa, é também o assumir por parte do grupelho de traidores que somos incapazes de gerir fundos comunitários (mesmo que o sejamos, e que importa, é o princípio da questão chamada “soberania”que está posto em causa com esta decisão…).

Portanto passa a ser Bruxelas a dizer para onde vão os fundos comunitários em que quantidade, e para que áreas (ou seja os interesses dos países que mandam mais na Europa, são assim impostos comercialmente ou industrialmente sobre os interesses de Portugal).

Caminho negocial esse que foi aplainado e  favorecido pelos traidores vendidos – fazendo com que a eficácia dos fundos para o desenvolvimento português passe a ser totalmente condicionada de fora para dentro e não a partir de dentro.

A médio prazo isto pagar-se -à muito caro.

E temos depois o “atirar de um osso” para exaltar o suposto ego nacional e a autoestima, afirmando que Bruxelas está muito reconhecida aos traidores e por aceitarem viver dos lucros da traição e da capitulação.

Ø

De acordo com o Governo, esta iniciativa reflete a “o reconhecimento” por parte dos parceiros europeus “do enorme esforço desenvolvido por Portugal no sentido de alcançar na íntegra os objetivos do programa de assistência económica e financeira e realizar as reformas estruturais necessárias ao aumento da competitividade e ao crescimento económico sustentado e gerador de empregos”.

Ø

Notícia da comunicação social, dia 7 de Outubro de 2011

Ø

Ø

Como povo temos que começar a ter respeito pela nossa própria soberania.

O JORNAL “A BOLA”, COMO EXEMPLO DA PROPAGANDA DAS VITÓRIAS MORAIS DA TRETA

Quando o jornal “BOLA” era um jornal a sério, feito por jornalistas a sério, que percebiam mesmo de futebol, nunca uma capa como esta seria feita.

Mas isso acontecia quando este jornal era um jornal à sério.

Nos dias de hoje, existe apenas a falta de talento.

E existe apenas a vontade de gozar com os leitores do jornal, feita por quem faz o jornal.

Personagens que já estão a  “borrifar-se” para quem lê o jornal e quem o compra.

Ø

Com efeito, para o jornal a Bola, entramos na categoria “vitórias morais de Portugal”…

Não deixa de ser triste observar  um jornal  – que já foi uma coisa de jeito – entrar pelos caminhos da propaganda rasca e do pretenso “elevar do espirito positivo dos portugueses” com a exaltação de pseudo vitórias desportivas de grande importância.

Ø

As “vitórias categóricas”de Braga e Sporting foram obtidas contra o Birmingham City – que está estacionado na segunda divisão inglesa a meio da tabela – e contra o Fc Zurique, que está no lugar 7 ( num campeonato de 10 equipas da suíça, esse país notoriamente conhecido por fabricar bons futebolistas e maus relógios).

O Birmingham City e o Fc Zurique não são equipas constituídas por padeiros e canalizadores que se juntam ao fim de semana para jogar à bola, mas também não são colossos do futebol europeu, longe disso.

Portugal manda na Europa, em quê?

Isto parece uma capa de propaganda feita num qualquer país totalitário ou numa República das bananas sul americana.

Ou ambas.

O PSD, MIGUEL RELVAS E A PROPAGANDA IMCOMPETENTE E O AUTO ELOGIO DISPARATADO

«Há dois meses Portugal e a Grécia estavam no mesmo comboio, dois meses depois já ninguém na Europa ou no mundo confunde Portugal com a Grécia. Nós estamos no caminho certo», referiu, à margem das jornadas parlamentares do PSD.

Miguel Relvas sublinhou que «hoje Portugal está noutro ritmo». É óbvio que o que se passa na Grécia nos preocupa a todos, aos países menores e maiores, com mais ou menos dificuldades na Europa, agora isso não pode nem vai ser inibição» para o rumo de reformas em Portugal, acrescentou.»

Ø

Miguel Relvas, aparentemente e só, ministro da propaganda, declarações à comunicação social, dia 12 de setembro de 2011.

Ø

Ø

Propaganda é um modo específico de apresentar informação sobre um produto, marca, empresa ou política que visa influenciar a atitude de uma audiência para uma causa, posição ou actuação.[1] Seu uso primário advém de contexto político, referindo-se geralmente aos esforços de persuasão patrocinados por governos e partidos políticos.

Ø

Nota: nem sequer ao descrito na definição da Wikipédia, o Relvas consegue chegar.

Wikipedia, Propaganda, acedido no dia 14 de setembro de 2011

Written by dissidentex

15/09/2011 at 19:11

AGÊNCIAS DE RATING: DÊ UMA PORRADA PATRIÓTICA NA SUA ANTES QUE SEJA TARDE

Agências de rating americanas perdem clientes em Portugal

Pelo menos oito entidades nacionais suspenderam ou não renovaram contratos. Este número deve aumentar.

Em apenas um dia – sexta-feira passada – cinco entidades públicas portuguesas romperam ou decidiram não renovar contratos com as agências de rating americanas: Moody”s, Standard & Poor”s e Fitch. * O rompimento com as agências é quase sempre acompanhado por duras críticas à actuação destas instituições na análise das situações específicas de cada cliente. Pelo menos oito entidades nacionais – Brisa, BES, Espírito Santo Financial Group, câmaras de Lisboa, Porto, Cascais, Sintra e ANA – Aeroportos de Portugal – anunciaram decisões nesse sentido no último ano. Açores e Madeira contestaram durante a despromoção.

…É o chamado contágio vertical, que é praticamente automático: se a dívida soberana de um país baixa, as entidades que dependem do Estado, sejam empresas ou autarquias e regiões autónomas, são imediatamente desclassificadas.

* O principal accionista (dono) da Fitch é francês.

Ø

Jornal I, notícia de dia 11 de Julho de 2011

Ø

Ø

O Governo português está a planear pedir sanções à ONU e a FIFA?

O PSD, O ECONOMISTA DO REGIME JOÃO DUQUE E O RATING MAIS A CRISE DA ECONOMIA EM V

O economista João Duque desvalorizou hoje o corte do ‘rating’ de Portugal feito pela agência de notação financeira Moody’s, acreditando numa reviravolta nos mercados até final do ano.

“Prefiro uma crise em ‘v’, afundar rápido para depois começar a subir, que uma crise que não tem ‘v’, é só um dos lados, é um plano inclinado”, disse o economista à agência Lusa, no dia em que a Moody’s cortou em quatro níveis o ‘rating’ de Portugal de Baa1 para Ba2, colocando a dívida do país na categoria de ‘lixo’.

Ø

Notícia da comunicação social, dia 5 de Julho de 2011.

Ø

Ø

O Titanic também foi uma pequena crise em “V” .

Não consta que tenha subido depois de se afundar…

Mas com economistas propagandistas a contar a história, pode ser que passe…