DISSIDENTE-X

Posts Tagged ‘GOVERNO

KAKISTOCRACIA OU O PORTUGAL ACTUAL, NO ANO DE 2013 (O CDS e o PSD tem que ir embora)

Ø

PEDRO PASSOS COELHO -  ODIO A TODOS

Ø

Definição de Kakistocrata:

“o governo dos piores, dos mais ignorantes e dos mais corruptos”.

Ø

pedro-passos-coelho- KAKISTOCRATA

Anúncios

O PSD E OS AUMENTOS COLOSSAIS DOS TRANSPORTES PÚBLICOS

1

O Governo vai comunicar hoje às operadoras de transporte público que os bilhetes e passes sociais devem sofrer um aumento médio de 15% já a partir do próximo dia 1 de Agosto.

“…o Governo propõe-se a rever a noção de serviço público, o que deverá passar pela redução ou eliminação de algumas carreiras de transporte.”

Ø

Notícia da comunicação social, dia 21 de Julho de 2011.

Ø

2

A CP vai aumentar em mais de 25 por cento o preço do passe mais simples (zona 1) para os comboios da Linha de Sintra e em mais de 15 por cento o dos bilhetes para a mesma zona.

Segundo as contas feitas pelo Sindicato dos Trabalhadores do Sector Ferroviário, o Passe CP para a zona 1 é o título de transporte que mais aumenta na CP – Comboios de Portugal, passando de 22,75 euros para 28,5 a partir de 1 de Agosto.

Ø

Notícia da comunicação social, dia 25 de Julho de 2011.

Ø

3

O Metropolitano de Lisboa vai aumentar, a partir de 01 de agosto, o preço do passe mensal urbano em 22%, passando dos 19,55 euros para os 23,90 euros, anunciou hoje a empresa em comunicado.

O Governo anunciou na quinta-feira um aumento médio de 15% nos transportes rodoviários urbanos de Lisboa e do Porto, respeitando assim uma das exigências da ‘troika’.

No comunicado, o Metropolitano indica que o passe mensal rede, que permite circular em toda a rede do metro, irá ter um aumento de 11% , passando de 28,70 para 32 euros.

Passe combinado Carris/Metro sobe 15%

O bilhete simples de uma zona aumenta 17 por cento e irá custar 1,05 euros, contra os atuais 0,90 cêntimos. O bilhete simples de duas zonas passará dos 1,15 para os 1,30 euros, que correspondem a um aumento de 13%.

Ø

Notícia da comunicação social, dia 26 de Julho de 2011

Ø

OS MERCADOS CONTINUAM A IMPRESSIONAR-SE COM O PSD NO GOVERNO

Juros da dívida portuguesa acentuaram a subida e renovaram máximos históricos nos prazos mais curtos. As “yields” das obrigações a dois e três anos estão a subir mais de 50 pontos base.

Ø

Notícia da comunicação social, dia 23 de Junho de 2011.

Ø

” Lisboa, 24 mar (Lusa) — O dirigente do gabinete de estudos do PSD Carlos Moedas defendeu hoje em declarações à agência Lusa que, com as reformas que um futuro Governo social-democrata vai aplicar, as agências ainda vão subir o ‘rating’ de Portugal.

Segundo Carlos Moedas, que é um dos principais conselheiros do presidente do PSD, Pedro Passos Coelho, os mercados “olham para uma nova equipa de gestão como uma boa notícia”, porque “há muito tempo não dão credibilidade ao Governo português”.

No seu entender, “assim que os mercados incorporem a informação de que o PSD vai respeitar as metas do défice, e fará tudo o que for necessário para que se cumpram essas metas até porque foi o PSD que sempre anda atrás do Governo para cortar, essas agências voltarão a dar credibilidade a Portugal”.”

Ø

Carlos Moedas, conselheiro económico de Pedro Passos Coelho, 24 de Março de 2011

Ø

OS MERCADOS FINANCEIROS IMPRESSIONARAM-SE COM O ACORDO PSD-CDS

” Lisboa, 24 mar (Lusa) — O dirigente do gabinete de estudos do PSD Carlos Moedas defendeu hoje em declarações à agência Lusa que, com as reformas que um futuro Governo social-democrata vai aplicar, as agências ainda vão subir o ‘rating’ de Portugal.

Segundo Carlos Moedas, que é um dos principais conselheiros do presidente do PSD, Pedro Passos Coelho, os mercados “olham para uma nova equipa de gestão como uma boa notícia”, porque “há muito tempo não dão credibilidade ao Governo português”.

No seu entender, “assim que os mercados incorporem a informação de que o PSD vai respeitar as metas do défice, e fará tudo o que for necessário para que se cumpram essas metas até porque foi o PSD que sempre anda atrás do Governo para cortar, essas agências voltarão a dar credibilidade a Portugal”.”

Carlos Moedas, conselheiro económico de Pedro Passos Coelho, 24 de Março de 2011

Ø

Hoje, dia 16 de Junho de 2001, o novo governo português, marcou para as 11 horas da manhã, a cerimónia de assinatura do acordo entre partidos que compõem o novo governo.

Com mérito e competência a assinatura fez-se às 12.20, no meio da maior confusão.

Ø

Já os mercados financeiros, às 13.30 da tarde, mostravam-se altamente impressionados com a assinatura do acordo, subindo os juros da dívida pública.

PASSOS COELHO APENAS É VAZIO

leave a comment »

“…Passos acredita que tem crédito junto dos portugueses porque nunca deixou de cumprir aquilo que prometeu enquanto esteve Governo, pelo simples facto de nunca lá ter estado.

Pedro Passos coelho, declarações à comunicação social – dia 4 de maio de 2011

Ø

Donde se retira que está avariado, não precisando de arranjo, porque nunca esteve avariado, pelo simples facto de nunca lá ter estado mas ter sido arranjado, tendo cumprido aquilo que nunca prometeu, mas que estava avariado, não precisando de arranjo.

Written by dissidentex

07/04/2011 at 11:54

BPN – ESPECIALISTAS FINANCEIROS DE NACIONALIZAÇÃO

leave a comment »

Com a recente nacionalização do BPN – Banco Português Nacionalizado, surgem imediatamente novos serviços ao dispor da população, com reputados especialistas, visando “ajudar” os portugueses a nacionalizarem mais uns bancos e empresas, pagando esses mesmos portugueses a factura das nacionalizações.

E vários cartazes publicitários surgem por aí, anunciando esses mesmos novos serviços que o governo português, tão generosamente, põe ao nosso dispor. Eis o primeiro de um autor celebre e reconhecido, o “padrão” geralmente utilizado pela maioria da população para resolver problemas de inveja e de amor, de doença e felicidade e de nacionalizações e privatizações:

O segundo especialista é o professor Teixeira, um reputado mestre do candomblé financeiro que propõe também ajudar a destruir a impotência eleitoral com tratamento terapêutico alternativo.

Já o terceiro especialista que entrou neste mercado pertence à área das ciências duras, mais exactamente da engenharia matemática e propõe-se abarcar um nicho de mercado específico neste segmento.É o professor Sócrates especialista em marketing e vendas.Ocupa um nicho de mercado altamente concorrencial com o professor Teixeira.

Numa economia de mercado globalizada e desenvolvida no dealbar do século 21, é necessário que existam incumbentes de mercado globalizados e não assimétricos que possibilitem o aumento da oferta existente e a satisfação das necessidades dos consumidores. É necessário diversificar a oferta e surge precisamente por isso, e derivado da atribuição pelo governo da quarta licença de incumbentes de nacionalização muito rápida, o professor Avestruz.

Apesar do dinamismo do mercado ser altamente dinâmico com 4 concorrentes no novo negócio e segmento da nacionalização rápida, o nosso bem amado líder e o nosso bem amado governo decidiram estender o alcance da concorrência mais longe. Literalmente mais longe, e contrataram um grande consultor internacional, o Professor Tarsier das Filipinas (nome próprio); um especialista em chakras e hipnotismo nacionalizante de cariz oriental.

Com tantos e tão renomados especialistas a acompanhar o processo, nacionalizar será de novo bastante fácil e será bastante acessível para todos os portugueses.

Written by dissidentex

03/11/2008 at 11:34

NACIONALIZAÇÃO DO BPN – NÃO OBRIGADO.

leave a comment »

Notícia do jornal Destak,de 2 de Outubro de 2008.

Importa esclarecer as pessoas que foram parar ao governo por sorteio, que não é o governo que “injecta” 4 mil milhões de euros no sistema bancário, mas sim os contribuintes portugueses.

São estes fazem o amável favor de assim o autorizar, por suposta e interposta representação política que advém de eleições supostamente livres e democráticas.

Também importa esclarecer que o absolutamente anónimo cidadão que faz este blog, é absolutamente contra a doação de injecções de 4 cêntimos de euro feitas com o dinheiro dos outros. Mais ainda de 4 mil milhões de euros feita com o dinheiro dos outros.