DISSIDENTE-X

Posts Tagged ‘PINGO DOCE

PINGO DOCE: VÃO ENVIAR A CONTA DA PROMOÇÃO DE 50% AOS FORNECEDORES…

Ø

Pingo Doce começou a cobrar custo da promoção de 50% a fornecedores

O hedonismo comercial irresponsável e relativista (mas de ética cristã pura e cristalina…) envia as contas a terceiros. Esta é uma empresa que deve ser considerada predatória, indesejável e personna non grata em Portugal.

 – Pratica-se  dumping e preços predatórios; – Com uma promoção ilegal de 50 % de desconto sobre os produtos postos à venda;
– Após  a terem colocado em perigo físico os clientes com a confusão que se seguiu;
– A polícia de segurança publica teve que ser alocada para para conter os desacatos nas lojas deles; essa não é a função principal da polícia;
– Após terem atacado o dia primeiro de maio como dia do trabalhador, tentando transformá-lo em dia do consumidor.

Esta empresa indesejável, irresponsável, e perigosa para a economia portuguesa, que ataca pequenos produtores expulsando-os da sua área de vendas, depois de lançar a confusão, vem fazer repercutir os preços da promoção nos fornecedores.

Ø

UMA EMPRESA QUE É UMA VERGONHA PARA PORTUGAL E UM EMBARAÇO PARA OS PORTUGUESES.

DO COMÉRCIO FEITO EM PORTUGAL PELO PINGO DOCE

“Para um comerciante, até a honestidade é um valor especulativo”.

Charles Baudelaire

PINGO DOCE E OS APOIOS À PRODUÇÂO NACIONAL

“Não vale a pena continuarmos a mentir. Não vale a pena pedir sacrifícios às pessoas sem lhes dizer a verdade. As pessoas têm de saber para que estão a fazer os sacrifícios e não adianta negar que estamos em recessão, porque estamos”, afirmou, durante a apresentação de resultados do grupo em 2010.

Questionado sobre o segredo do sucesso do grupo, que aumentou os lucros em mais de 40% no ano passado, Alexandre Soares dos Santos respondeu: “Os truques é para o Sócrates. Ele [os políticos] é que gosta de truques. O nosso sucesso assenta em trabalho”.

Ø

Alexandre Soares dos Santos, dono das mercearias Pingo Doce, declarações à comunicação social, dia 19 de Fevereiro de 2011

Ø

Notícia da comunicação social, dia 20 de Junho de 2011.

Ø

A Lacticínios das Marinhas entrou em ruptura negocial devido às pressões  grupo Jerónimo Martins – Pingo Doce, para esmagar as margens de lucro desta PME.

Ø

Noticia dos produtores de leite – anilac, dia 29 de Março de 2011

Ø

Questionado sobre o segredo do sucesso do grupo, que aumentou os lucros em mais de 40% no ano passado,…

“Os truques é para o Sócrates. Ele [os políticos] é que gosta de truques. O nosso sucesso assenta em trabalho”.

Ø

A Jerónimo Martins está a trazer produtos da Polónia para o Pingo Doce, aproveitando sinergias da Biedronka, a cadeia que o grupo detém naquele país. A receptividade junto dos consumidores portugueses tem sido grande, mas é ainda maior junto da comunidade do Leste que reside no País.

Fiambre fumado, bacon, salchichas e pickles são alguns dos produtos que chegam “em grandes quantidades” da Polónia, com “preços agressivos”, afirmou ao DN Rita Coutinho, directora de marketing do Pingo Doce.

Ø

Pingo Doce, notícia da comunicação social, dia 23 de Março de 2007

CAMPANHA PUBLICITÁRIA PINGO DOCE – DUDA PROPAGANDA

leave a comment »

A empresa de publicidade banha da cobra brasileira chamada Duda Propaganda decidiu expandir-se para o mercado europeu. Conseguiu um bom contrato – uma conta – junto da Jerónimo Martins/Pingo Doce supermercados para ser o organizador da campanha de publicidade deles.

Desde o dia 7 de Outubro de 2009 que uma campanha publicitária arrancou nas televisões, com um “filme institucional” de 90 segundos.

Tudo no filme é péssimo.

O Pingo Doce/Jerónimo Martins (a gestão) está desesperada por aumentar as vendas e aceitou uma solução proposta pela Duda propaganda em que esta se torna “sócia” do Pingo Doce e receberá as suas comissões em função do sucesso da campanha.

Só isso explica que aceitem que a sua marca dê a cara por uma campanha muito, mas muito má.

Ou isso, ou um desejo de suicídio comercial.

Ø

O filme está cheio de clichés e estereótipos de como um brasileiro “vê” Portugal. Retratando um país imaginado que nada tem a ver com a realidade.

E mesmo que tivesse a ver, não se percebe em que é que isso diz respeito ou chamará a atenção das pessoas para o Pingo doce e para comprar lá.

A música é horrível.

O tempo de duração é demasiado longo.

Ø

PINGO DOCE - SABE BEM PAGAR TAO POUCO

A empresa não sai nada bem tratada deste filme. Os sorrisos de plástico das pessoas retratadas como sendo empregados da empresa contrastam com a  realidade quando se vai a qualquer loja Pingo Doce: pessoas que rangem os dentes (1) esmagadas pelos baixos salários que auferem e (2) pelo ritmo de trabalho intenso muitas vezes trabalhando em duas secções ao mesmo tempo; uma só pessoa; ou (3) trabalhando mais horas do que o horário normal.

Os sorrisos de plástico das pessoas que fazem de clientes são também uma raridade quando se vai a uma loja do Pingo Doce.

Quem fez este anúncio nunca fez compras em lojas do Pingo Doce.

O tom estupidamente feliz de todo o conjunto é absurdo, especialmente quando se mostram muitos empregados a atender clientes; coisa que quem vai ao Pingo Doce sabe não ser verdade, durante a maior parte do tempo em que lá está.

Não adequar a mensagem publicitária (mostrando) à realidade danifica a imagem da empresa.

Ø

O tom nacionalista, mostrando a bandeira portuguesa num anuncio de uma empresa que pretende apenas aumentar as vendas e que tem accionistas estrangeiros é de mau tom e um gozo; uma forma de aproveitamento do patriotismo e de “encostar” a empresa a um nacionalismo, que não consta a empresa ter, nem consta ter tido.

Visa dizer-nos, enquanto consumidores, que deveremos comprar no Pingo Doce porque eles são portugueses; enquanto que parte da gestão e 80% dos produtos, provavelmente, são de origem estrangeira.

Ninguém autorizou o Pingo Doce a ser mais patriota que os outros. Ou a julgar ser.

Ø

É ainda mais incompreensível que a gestão do Pingo doce tenha aceite esta coisa, quando a empresa, antes disto, fazia (1) bons anúncios e que tinham uma (2) lógica coerente por detrás.

Obviamente decidiram que a técnica “quanto pior, melhor” é o futuro e a solução.

Ø

Quanto ao “lema” do Pingo Doce:

“Sabe bem pagar tão pouco”

apenas reflecte aquilo que se pagará aos funcionários do Pingo Doce: pouco, muito pouco.

A gestão do Pingo Doce, provavelmente, tem “orgulho” em pagar pouco aos seus funcionários  – chamarão a isso “racionalização dos custos de gestão corrente”.

Mas concerteza virá a pagar muito à Duda Propaganda por esta “coisa” estrambólica que os “Dudas” fizeram.

Disclaimer: não trabalho na área, não elogio campanhas dos adversários.