DISSIDENTE-X

Posts Tagged ‘TROIKA

ORÇAMENTO 2013 – APENAS O ORÇAMENTO MAIS ESTÚPIDO DO MUNDO (O CDS e o PSD tem que ir embora)

Ø

Ø

A maioria parlamentar aprovou terça-feira o mais estúpido Orçamento do Estado que Portugal alguma vez conheceu.

É estúpido porque parte de um quadro macroeconómico completamente irrealista, com base numa recessão prevista de 1 por cento, quando no mesmo dia a OCDE apontou para -1,8% e todas as previsões conhecidas, nacionais e internacionais, se fixam claramente acima do valor definido peloGoverno e pela troika.

É estúpido porque o défice do próximo ano não será cumprido, assim como não foi o deste ano, já que parte de pressupostos que não se vão verificar.

É estúpido porque insiste no caminho de um fortissimo aumento de impostos para tentar alcançar o défice quando o resultado final será a devastação da economia e a correspondente quebra de receitas fiscais, gerando a necessidade de voltar a aumentar impostos para atingir o défice e aprofundando ainda mais a recessão.

É estúpido porque as expectativas de cumprimento deste orçamento são nulas – e isso é mais um passo para ele não ser cumprido.

É estúpido ainda porque não aproveita as janelas abertas pelos responsáveis do FMI para aliviar a carga fiscal e as metas do défice.

E é estúpido porque depois da decisão do Eurogrupo sobre a Grécia se tornou claro que a própria troika começa agora a admitir que este caminho de austeridade sobre austeridade não conduz ao paraíso mas ao inferno e é contrário aos objetivos que pretende atingir.

Este orçamento é um nado-morto, que será alvo de remendos ao longo do ano. É um orçamento contra os contribuintes, que estimula a economia paralela, a fuga e a evasão fiscal devido à injustissima carga fiscal que lança sobre os contribuintes. É um orçamento contra a economia. E é um orçamento estúpido porque nos conduz a um abismo económico – mas apesar dos avisos e dos alertas, insiste em caminhar nesse sentido.

Verdadeiramente, este orçamento não merece vir a conhecer a luz do dia. Não merece entrar em vigor. E os contribuintes portugueses estão muito longe de merecer o flagelo fiscal que este orçamento lhes quer impor. 

 

Ø

Artigo de opinião, comunicação social, dia 27 de Novembro de 2012
Ø

Written by dissidentex

28/11/2012 at 17:09

Publicado em A QUADRILHA, ORÇAMENTO DE 2013

Tagged with

DA ESTABILIDADE GOVERNATIVA (O PSD e o CDS tem que sair)

Ø

Ø

Desde meados de 2010,  que uma parte da “elite” (vale a palavra”elite”, o que vale…) portuguesa, traidores, vendidos, incompetentes, tem feito campanha, para se chamar uma força internacional, designada por Troika”, argumentando que só assim se terá estabilidade no país.

Ø

SE PEDRO PASSOS COELHO (e as pessoas do psd…) ESTÁ A GOVERNAR TÃO BEM PORQUE AUMENTA A DÍVIDA PÚBLICA? (O PSD E O CDS tem que ir embora)

Ø

Ø

” O membro do Banco Central da Islândia Gylfi Zoega diz que Portugal deve investigar quem está na origem do elevado endividamento do Estado e dos bancos.

“Temos de ir aos incentivos. Quem ganhou com isto? No meu País eu sei quem puxou os cordelinhos, porque o fizeram e o que fizeram, e Portugal precisa de fazer o mesmo. De analisar porque alguém teve esse incentivo, no Governo e nos bancos, para pedirem tanto emprestado e como se pode solucionar esse problema no futuro”, diz o responsável.”

Ø

Notícia da comunicação social, dia 9 de Setembro de 2012

Ø

Ø

Chamou-se a  troika porque não havia dinheiro

Quando a troika chegou o PIB descia 0.7%.

No final do ano a recessão era de -1.6%.

No final do 1º semestre de 2012 a recessão já é de 3.3%

Isto significa que desde que a troika chegou a economia já perdeu 8.8 mil milhões de euros.

É mais um BPN.

Portugal vai receber 78 mil milhões de euros da troika

Portugal vai pagar 34.400 mil milhões de euros à troika (em Juros)

Portugal vai pagar à troika pela “ajuda”.

78.000.000.000.

+

34.400.000.000 de juros =

112.300.000.000

A divida pública portuguesa era 97% do PIB quando a troika chegou

Um ano depois a divida publica portuguesa era 116% do PIB

O governo prevê que em 2013 a divida portuguesa seja de 118 do PIB

Portugal deve hoje mais de 18 mil milhões do que quando a troika chegou

Então se a troika veio porque não havia dinheiro porque é que mais de um ano depois há ainda menos dinheiro?

VÍTOR GASPAR É O MINISTRO MAIS INCOMPETENTE DO HEMISFÉRIO NORTE ( ou como a execução orçamental baseada em previsões idiotas está a falhar em toda a linha)

Ø

O dito “génio” começou a aplicar o seu pensamento quadrado e linear para tratar de assuntos sérios; os resultados falhados começam a aparecer.

Não se deve esperar mais de um governo de falhados e imcompetentes…

Ø

Basicamente as despesas aumentam e as receitas diminuem, e tudo isto com taxas de impostos mais altas.

A incompetência deste governo é colossal.

Ø

Diário de Notícias, dia 4 de Setembro de 2012, Link indisponível.

Ø

Em apenas um mês – entre a terceira avaliação ao programa de ajustamento nacional, no início de abril, e o fecho do Documento de Estratégia Orçamental, no início de maio – as Finanças reviram fortemente em alta a receita prevista em impostos diretos no período de 2012 a 2015.

Os números inscritos nos quadros suplementares do DEO, enviados apenas a Bruxelas, mas entretanto distribuídos no Parlamento, mostram que o Governo está a contar agora com mais 3.855 milhões de euros em impostos do tipo IRS e IRC face ao que ficou inscrito nos quadros da troika.

(…)

O Dinheiro Vivo perguntou às Finanças porque razão os impostos diretos vão subir tanto, mas não obteve resposta até ao fecho desta edição.

De manhã, no Parlamento, Vítor Gaspar tocou no assunto, ainda que de forma evasiva. “Estamos a estudar a reforma da tributação no quadro desta legislatura”, esperando para tal que a despesa pública desça e se afaste bastante dos 50% do Produto Interno Bruto (PIB).

Ø

Notícia da comunicação social, dia 10 de Maio de 2012

Ø

Mais uma previsão: “esperando que a despesa pública desça…”

VÍTOR GASPAR – UM MINISTRO IMCOMPETENTE QUE DISFARÇA BEM…

Ø

* A Direcção-Geral do Orçamento (DGO) divulgou esta segunda-feira o boletim da execução orçamental do primeiro semestre, que mostra que as administrações públicas cumpriram em Junho o objectivo do saldo do segundo trimestre definido pelo programa de ajustamento: o défice foi de 4137,8 milhões de euros, menos 262,2 milhões do que o limite fixado pela troika.

O défice do Estado caiu quase 50% até Junho, atingindo os 3,2 mil milhões de euros, enquanto o défice da Administração Central (Estado mais Serviços e Fundos Autónomos, como universidades, institutos públicos e hospitais) e da Segurança Social atingiu os 1,23 mil milhões. Contudo, estas contas beneficiam do efeito da transferência da parte remanescente dos fundos de pensões dos bancários (no valor de 2,68 mil milhões), que fez disparar em 252,8% as receitas de capital.

As receitas fiscais continuam em queda, acumulando até Junho uma diminuição de 3,1%, acima do crescimento de 2,6% esperado no Orçamento do Estado Rectificativo (OER). Os impostos indirectos estão a ser os principais responsáveis pela derrapagem, caindo 5,2%, com destaque para o IVA (-1,8%).

Ainda assim, destaca a DGO, houve alguma recuperação face ao mês anterior, particularmente no caso do IVA. Até Maio, as receitas fiscais estavam a cair mais (-3,5%) e o IVA estava a apresentar um recuo de 2,8%. Já as receitas dos impostos directos (IRS e IRC) estão a aumentar 0,4%.

Ø

Notícia da comunicação social, dia 23 de Julho de 2012

Ø

Segundo fonte das Finanças, os números da execução orçamental vêm confirmar os riscos já identificados nas contas até Maio. Este será, aliás, um dos temas quentes que vai estar em cima da mesa na próxima avaliação da troika, no final de Agosto. Os últimos números do Instituto Nacional de Estatística – os únicos que são directamente comparáveis com os compromissos assumidos com a troika visto que estão expressos em contabilidade nacional (a óptica usada no reporte a Bruxelas) – mostram que o défice ficou em 7,9% no primeiro trimestre, bem acima da meta de 4,5% com que o Governo de comprometeu atingir no final do ano.

Segurança Social com excedente cada vez menor

Enquanto o Estado fechou o primeiro semestre com um défice de 3,2 mil milhões de euros, o subsector dos Serviços e Fundos Autónomos registou um excedente de 1,7 mil milhões. A contribuir para isso esteve a transferência para o Serviço Nacional de Saúde da primeira tranche de 750 milhões de euros para pagamento de dívidas em atraso.

O Orçamento Rectificativo prevê que, no total, sejam transferidos 1500 milhões, provenientes das receitas conseguidas com a transferência dos fundos de pensões dos bancários. O processo deverá ficar concluído até ao final de Agosto.

Já o saldo da Segurança Social continua a registar um excedente, de 273,8 milhões, mas cada vez mais tímido, devido ao impacto que a recessão e o desemprego estão a ter nas contas, diminuindo as receitas provenientes das contribuições e quotizações e aumentando as despesas com prestações sociais, nomeadamente com o subsídio de desemprego.

Ø

Notícia da comunicação social, dia 23 de Julho de 2012

Ø

* O cartaz está também relacionado com o conteúdo deste post

PORTUGAL: NÓS NÃO SOMOS A GRÉCIA, NÓS CHEIRAMOS A PERFUME…

Ø

Grécia: economia afunda, entra em deflação e desemprego sobe

A economia grega terá uma recessão mais acentuada do que o previsto este ano, será a única da zona euro a entrar em deflação e o desemprego continuará a aumentar, segundo as previsões da Comissão Europeia.

As previsões de primavera divulgadas hoje em Bruxelas antecipam também que o PIB recuará 4,7 por cento este ano – mais do que os 4,3 por cento previstos no último boletim intercalar – mas, ainda assim, abaixo do recuo de 6,9 por cento do ano passado.

As contas públicas continuarão complicadas, com o défice a atingir 7,3 por cento do PIB (foi de 9,1 por cento no ano passado), voltando a aumentar para 8,4 em 2013.

A dívida pública deverá cair este ano, dos 165,3 por cento do PIB de 2011 para 160,6 por cento, mas voltará a subir para 168 por cento em 2013.

A Comissão prevê uma situação de deflação com o índice que mede a evolução dos preços a recuar 0,5 por cento este ano e 0,3 por cento em 2013.

Em termos de evolução da conta corrente, Bruxelas prevê que saldo da balança de transações correntes passe a ser de -7,8 por cento do PIB em 2012, melhor do que os -11,3 por cento do ano passado.

Ø

Notícia da comunicação social, divulgando dados do desastre da economia grega, após ter sido ajudada com um plano de austeridade e um empréstimo da troika , dia11 de maio de 2012.

Ø

Ø

Economia portuguesa contrai 3,3% e desemprego dispara para 15,5%

A Comissão Europeia prevê que a economia portuguesa vai contrair este ano 3,3%, um valor mais pessimista do que o crescimento negativo de 3% esperado pelo governo.

Ø

Notícia da comunicação social, sobre a magnifica recuperação económica portuguesa que se aproxima da grega, a passos largos,após ter sido ajudada com um plano de austeridade e um empréstimo da troika dia 11 de maio de 2012

Agora até resultados falsificados (a descida real é muito maior) e além disso fortemente negativos são comemorados como sendo vitórias…

Mas isto é o PSD:  a mediocridade e a incompetência só são superadas pela estupidez e pela maldade.

O PSD, EDUARDO CATROGA E OS RADICAIS PERIGOSOS DE DIREITA QUE ATURAMOS

leave a comment »

Nós vamos ser muito mais radicais no nosso programa do que a troika, vamos ser muito mais radicais.

Eduardo Catroga, quando reagiu ao acordo assinado com a Troika do FMI

Declarações à comunicação social, dia 5 de Maio de 2011

Ø

Se não votarem no Passos, ou se votarem, nós vamos ser muito mais radicais….

MEMORANDO DA TROIKA E DO FMI – O BPN E OS SEUS DEMÓNIOS…

leave a comment »

2.10 – As autoridades estão a lançar  um processo de venda do banco português de negócios, com um  calendário acelerado e sem um preço mínimo de venda declarado.

Para este fim, um novo plano é submetido à união europeia para ser aprovado à luz da legislação comunitária sobre concorrência.

O objectivo é encontrar um comprador o mais tardar até ao final de Julho de  2001.

2.11 Para facilitar a venda, as 3 companhias subsidiarias/ holdings especiais em que o banco está organizado, mais os seus bens e negócios não essenciais (core business – nota minha)   foram separados do BPN, e mais bens podem ser transferidos para estas “holdings especiais”  como parte dasnegociações com potenciais clientes.

O BPN está também a lançar projectos mais ambiciosos de redução de custos com vista a aumentar a sua atractividade perante potenciais compradores.

Ø

De uma conversa com diabos financeiros e dos seus lacaios….

Advogado do diabo: Devo ser sincero. A seriedade deste programa depende de quem fica responsável pelos veículos especiais com activos tóxicos…

Demónio Aprendiz malcriado: mas vendem aquela porcaria a quem? E vendem sem um preço mínimo? Agora que o bem está completamente desvalorizado e o comprador, qualquer ele seja,  caso compre escolhe a seu belo prazer…

Lacaio subserviente:  e o comprador pode até não decidir comprar esta coisa, mestres…

Advogado do diabo:  um dos problemas e vigarices deste tipo de esquemas que os humanos corruptos adicionaram ao problema  é que neste tipo de situação costuma ser a entidade que fica com o banco “limpo”; a mesma que o tornou um mau produto financeiro e comercial.

Lacaio subserviente: E também por ser a mesma que o tornou um mau produto e aceita abater os produtos financeiros tóxicas das outras entidades associadas num plano de gestão para “revitalizar.

Advogado do diabo: Neste caso especifico quem geria o banco foi afastado e por isso este tipo de acordo é impossível.

Demónio Aprendiz malcriado: Para o venderem qualquer otário comprador (sem responsabilidades nisto) não quer o resto do pacote. Ingratos, por não quererem comprar uma porcaria…

Advogado do diabo: tecnicamente é isso que se faz sempre, meu pequeno demónio aprendiz malcriado, apenas a adaptação à realidade é que é pouco clara ou mesmo ocultada.

Demónio Aprendiz malcriado: tudo bem, mestre, mas aquilo não vale nada neste momento. Mesmo que se separe partes partes daquilo, o tóxico está sempre ali…

Lacaio subserviente: o problema é que em 3 anos de confusão o valor publico do BPN é zero… a marca não vale nada.

Mestre, mesmo que seja possível dissociar os activos tóxicos torna-se complicado a qualquer otário comprador voltar a lançar a marca ou mesmo um qualquer suicida comprador  que opte por usar a marca nos mesmos balcões e serviços.

Advogado do diabo: exactamente.

Só uma empresa de suicidas ou alguma que tenha mercado garantido para aquilo – por exemplo uma empresa muito grande que meta para lá as suas aplicações financeiras e os ordenados dos seus trabalhadores e mesmo assim… enfim…

Lacaio subserviente: sim mas tinha que ter interesse em estar na banca… quantas existirão?

Demónio Aprendiz malcriado:  nenhum. O único que eu conheço em Portugal é a sonae mas tiveram esses devaneios há mais de 20 anos quando o dono era um empresário com fome de negócios e espírito de inovação. Não o conformado que é agora…

 Advogado do diabo:  talvez até queira… não estou a par… mas de qualquer forma, sobra sempre a questão sobre quem é o designado “burro” que vai quem vai comer o prejuízo dos activos tóxicos e a resposta parece ser o estado. A não ser que aceitem por outro tipo de contrapartidas associadas à venda. Contrapartidas altamente favoráveis…

Lacaio subserviente: Não sabemos dizer-lhe , Mestre. Os nossos demónios inferiores que negociaram o memorando não conseguiram impor com essa precisão tal hipótese. Dava demasiado nas vistas, mestre…

Temos que os enganar, dizendo-lhes que o acordo é bom, mestre….

O que eles não sabem é que o acordo é bom para nós, mestre…

Advogado do diabo: pelo que vi, só pelas noticias das nossas agências de noticias fabricadas por nós, parece que o que está escrito é algo vago e ambíguo, como nós ordenamos.

Demónio coxo zombeteiro: Por isso não se sabe o que vai ser feito concretamente ou sequer a situação real do banco. Gozamos com os humanos daquele país e eles gostam…

Advogado do diabo: Parece-vos que é vago e ambíguo mas está relacionado com outras coisas cozinhadas aqui no nosso pequeno inferno….

Demónio Aprendiz malcriado: que também são vagas e ambíguas, como nós queremos…

Demónio coxo zombeteiro: É por isso que mandamos os nossos lacaios negociadores inserir valores de reduções de despesa  vindos não se sabe de onde, como magia negra.

Lacaio subserviente: e economicamente está ali descrito uma recessão altamente lesiva para os humanos daquela terra. Mas é caos o que queremos…

Demónio coxo zombeteiro: queremos  subir o IVA e  alterar escalões do imposto.

Lacaio subserviente: sim e vai ser feito, mestre…

Advogado do diabo: sim, mas no geral nada daquilo tem alguma coerência – como nós queremos. E não vejo os valores que são postos no negócio do BPN como sendo totalmente exequíveis… que é o que nos interessa…

Demónio Aprendiz malcriado: o que parece faltar é definir a chave do arranque económico. Após tudo aplicado não se sabe muito bem o que irá dinamizar o mercado. Nem parece existir um esforço nesse sentido. São idiotas ou fazem de propósito por acreditarem nisso?

Advogado do diabo: a não ser que se tenham tentado tornar criativos e  isto seja “reaganomics”…. nesse caso é melhor juntar três avé marias por dia.

Demónio coxo zombeteiro: invocar regras do nosso inimigo mortal Deus” para rejeitar a reaganomics, é blasfémia, ò advogado…apesar de a reaganomics ser uma blasfémia também…. Nem nós aprovamos algo tão destrutivo…

Written by dissidentex

09/05/2011 at 19:58

Publicado em FMI, NEO LIBERALISMO ECONÓMICO

Tagged with , , ,