DISSIDENTE-X

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÂO: RETIRAR DINHEIRO A ESCOLAS PÚBLICAS PARA DÁ-LO A ESCOLAS PRIVADAS

O Governo português prevê cortar em 2012 o seu orçamento em Educação em mais de 600 milhões de euros, noticia a agência espanhola EFE, citando o ministro Nuno Crato.

Num encontro com a imprensa estrangeira, Crato precisou que esta diminuição na despesa é equivalente a oito por cento do orçamento total do sector, estimado em 7.800 milhões de euros.

Ø

Nuno Crato, notícia da comunicação social, dia 4 de novembro de 2011.

Ø

Artigo 9.º
Montante do apoio financeiro
1 — O apoio financeiro a conceder, no âmbito dos contratos de associação por turma, traduzido num subsídio, é fixado para o ano de 2011 -2012 no valor de € 85 288 * por turma.
2 —  . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

Ø

Fonte:  Diário da República, Ministério da educação e ciência, portaria 277, dia 13 de Outubro de 2011.

* o anterior valor era de 80 mil euros

Ø

Os contribuintes portugueses subsidiam escolas privadas.

Subsidiam escolas que cobram propinas elevadas aos seus alunos.

Ao mesmo tempo observam a escola pública a ser alvo de uma retirada massiva de dinheiro.

O novo comunismo é assim:  conceder subsídios aos “amigos”/”donos” das escolas privadas para meninos ricos.

O novo comunismo é assim: atacar o serviço estatal fazendo-o viver com pouco dinheiro, para “abrir mercado para os proxenetas do ensino privado.

Ø

Quanto aos professores portugueses continuam a estar em estado de cobardia, calados e obedientes.

Apenas interessados em exigir “ordem” e emprego garantido com salário alto e querendo vender-se ao desejo de ver ser-lhes concedido serem pequenos tiranetes na sala de aula, julgando que é este tipo de coisas que o permitirá .

Julgam que – se ficarem calados –  irão ser recompensados na nova ordem que emergir.

Contudo:

“Roma não paga a traidores nem aos que assassinam os seus generais”.

Quintus servilius Caepio, General romano.

Anúncios
%d bloggers like this: